Iran quer investigar militantes

Vereador identificou 29 funcionários comissionados da Prefeitura de BH em grupo que fez ameaça

iG Minas Gerais | Guilherme Reis |

Tempestade. Depois de um dia tumultuado, o clima ontem na Câmara Municipal era mais tranquilo, mas a obstrução da pauta permaneceu
DENILTON DIAS
Tempestade. Depois de um dia tumultuado, o clima ontem na Câmara Municipal era mais tranquilo, mas a obstrução da pauta permaneceu

O vereador Iran Barbosa (PMDB) vai pedir ao Ministério Público de Minas Gerais que abra um processo de investigação contra 29 pessoas que participaram da reunião extraordinária da Câmara Municipal de Belo Horizonte de anteontem. Segundo o parlamentar, essas pessoas são funcionárias comissionadas da Prefeitura de Belo Horizonte e foram à Câmara, no horário de trabalho, para pressionar a oposição, sendo que um deles até fez ameaças de agressão física.

Durante a reunião, Barbosa chamou a Polícia Militar para registrar um boletim de ocorrência contra Gilberto Nascimento, que segundo o parlamentar, o teria ameaçado de agressão física. Nascimento e outras pessoas que assistiam à reunião acusaram Barbosa de chamar os presentes na galeria de “bandidos” e “vagabundos”. O parlamentar disse ter identificado, em imagens do circuito interno da Câmara e em fotos e documentos apresentados na portaria, 29 pessoas que trabalham na Prefeitura de Belo Horizonte. “Essas pessoas pararam o que estavam fazendo para vir à Câmara e insultar os vereadores. Um me disse que iria me pegar lá fora. Vou entrar com uma representação no Ministério Público, e qualquer prova que eu tiver que ligue essas pessoas ao prefeito Marcio Lacerda (PSB) vou usar para pedir a cassação dele”, afirmou Barbosa. Na pauta da Câmara estão três matérias de interesse do Executivo. Uma delas determina o desconto para o pagamento de IPTU para inadimplentes, outra cria uma parceria público-privada no Hospital do Barreiro, e um texto reajusta os vencimentos dos servidores municipais. A assessoria de Barbosa está fazendo um levantamento dos nomes das 29 pessoas para saber qual o cargo e onde estão lotadas. Um deles, que teria ameaçado o parlamentar, Gilberto Nascimento, de acordo com o “Diário Oficial do Município”, é “Assessor II” da prefeitura. Seu salário é de R$ 3.500 por mês. Ele está lotado na regional Barreiro. Anteontem, durante a confusão na Câmara, O TEMPO conversou com Gilberto Nascimento, e ele afirmou ser de um movimento social, porém não quis identificar qual. Quando a polícia fazia o boletim de ocorrência, outras pessoas gritavam que, “no Barreiro, o Iran Barbosa não teria voto”. Chegaram até a fazer outra ameaça: “Vamos tirar as placas dele (Iran Barbosa) do Barreiro. Quero ver ter voto lá. Ainda vamos fazer uma caminhada contra (sua candidatura)”, disse uma das pessoas. Barbosa é candidato a deputado estadual nas eleições deste ano. Vale lembrar que destruir propaganda de candidatos é crime eleitoral. A pena é de detenção de até seis meses.

Obstrução Firme. Iran Barbosa (PMDB) disse que não irá votar matérias que, segundo ele, podem prejudicar a cidade. “Não interessa o tamanho da pressão. Vamos continuar obstruindo”, prometeu.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave