Nova alça viária é inaugurada em Contagem nesta terça-feira

Além dela, também foi entregue a ampliação da Via Expressa na altura do Parque São João; empreendimentos foram tratados como "presentes" para os moradores da cidade

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

Nova alça viária no bairro JK foi inaugurada nesta terça-feira
divulgação/ larissa mikaela
Nova alça viária no bairro JK foi inaugurada nesta terça-feira

Como parte das comemorações dos 103 anos de Contagem, cidade da região metropolitana de Belo Horizonte, que conta com quase 610 mil habitantes, foi inaugurada nesta terça-feira (26) a alça viária que liga a avenida Marechal Castelo Branco, no bairro JK, à avenida Babita Camargos, no entorno do empreendimento da Construtora Direcional, perto do Itaú Power Shopping.

As obras começaram em maio deste ano e a conclusão aconteceu nesta terça-feira. Com isso, a ligação entre as vias ganha dois sentidos, com o objetivo de facilitar o acesso na região. O empreendimento é uma contrapartida da Direcional com município.

Além da alça, ainda há a previsão da construção do Centro de Memória dos Trabalhadores da Indústria de Contagem.

Outro empreendimento inaugurado também nesta terça-feira foi a ampliação da Via Expressa, no trecho entre o Parque São João e o viaduto da avenida João César de Oliveira. As obras foram iniciadas em junho deste ano e, segundo a prefeitura de Contagem, ela irá beneficiar mais de 70 mil motoristas que trafegam pelo local diariamente.

A ampliação cria novos retornos na via, como a construção de uma alça viária à esquerda no retorno da Via Expressa, no sentido Belo Horizonte-Contagem, próximo a entrada da empresa Tracbel, além da reorganização do trânsito no acesso ao Aterro Sanitário de Contagem e bairros Perobas e Três Barras.

Apesar de os empreendimentos serem citados pela prefeitura como “presentes para a população de Contagem”, em comemoração ao aniversário da cidade,  a ampliação da Via Expressa demandou cerca de R$ 2 milhões de verba pública, dinheiro investido pelo município.

Já a construção da alça no JK foi uma obra de contrapartida da empresa Direcional, e não gerou custos ao município. Isso significa que, para a empresa construir seu prédio no local, ela precisaria de um alvará da prefeitura, que foi concedido mediante uma "obra de compensação". Ou seja, ela aceitou construir a alça viária para minimizar os impactos que o novo prédio - que ainda está em fase de construção - viria a causar no trânsito. Como ainda não está pronto o prédio da construtora, ainda não é possível medir os reais impactos que o empreendimento irá causar no local tendo apenas como base a inauguração da alça viária. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave