No horário eleitoral da TV, Marina Silva apresenta vice

Beto Albuquerque afirmou que os compromissos firmados por Eduardo Campos, que morreu no último dia 13 de agosto, são os mesmo da sua geraçã

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Às 17h42 desta terça (19), Beto Albuquerque divulgou esta foto em sua página no Facebook, com o seguinte texto:
Reprodução / Facebook de Beto Albuquerque
Às 17h42 desta terça (19), Beto Albuquerque divulgou esta foto em sua página no Facebook, com o seguinte texto: "A nossa missão!". Ele já dava pistas de que tinha sido o escolhido para vice de Marina

No início da segunda semana de horário eleitoral na televisão, os principais candidatos de oposição, Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB), continuaram apresentando suas candidaturas e projetos, enquanto o PT repetiu o programa da presidente Dilma Rousseff exibido no sábado, destacando avanços conquistados nos 12 anos de governo do partido.

Marina utilizou o programa desta terça-feira (26), para apresentar seu vice, Beto Albuquerque. O socialista afirmou que os compromissos firmados por Eduardo Campos, que morreu no último dia 13 de agosto, são os mesmo da sua geração e que Marina terá "força e apoio" para fazer um "ótimo governo" e recuperar o crescimento do Brasil. "Nos últimos quatro anos vimos a inflação voltar e a violência piorar, mas não vamos desistir", disse.

A ex-senadora encerrou o programa chamando a atenção para a propaganda "cinematográfica" sendo exibida por alguns e que, segundo ela, mostra um Brasil bem diferente da realidade. "É preciso uma mudança na política, na relação com o Congresso e com a sociedade", afirmou. "Vamos chamar pessoas honestas e competentes."

O programa do PSDB voltou a apresentar a biografia de Aécio Neves e o candidato falou da sua infância e juventude em São João del Rei, no interior de Minas Gerais. Aécio afirmou que seu avô, Tancredo Neves, e seu pai foram seus dois grandes exemplos na política. O tucano se apresentou também como líder da aprovação da lei que acabou com a imunidade de políticos para crimes comuns. "É preciso coragem para fazer o que é necessário, coragem para fazer diferente", frisou.

A propaganda destacou ainda a gestão de Aécio à frente do governo de Minas, com redução do número de secretarias, fim de privilégios e corte do próprio salário pela metade. "Fiz um governo com as melhores cabeças, com todos aqueles que tinham uma contribuição a dar. Estabelecemos metas para todas as áreas da administração pública", disse o tucano. "Vamos gastar menos com a estrutura do Estado para gastar cada vez mais com as pessoas."

Já a campanha de Dilma repetiu o programa exibido no sábado, que buscou diferenciar as oportunidades que existiam antes do governo do PT e as que existem hoje. "Quem é mais jovem talvez não lembre o quanto o Brasil mudou nos últimos 12 anos. Quem pode garantir mais avanços? Os ligados ao passado da desigualdade ou quem realizou o maior ciclo de mudanças da nossa história?", questionou Dilma.

O programa destacou o aumento dos investimentos na agricultura familiar, a geração de empregos e a criação do Pronatec e de universidades, ressaltando que os últimos anos mostraram as "menores taxas de desemprego da história". O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou novamente da propaganda e afirmou que a vida dos brasileiros hoje é muito melhor do que no tempo em que o País era "governado por aqueles que governavam para poucos". Dilma encerrou o programa reiterando que "a verdade vai vencer a mentira e o amor e a esperança vão vencer o medo e o ódio".

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave