Mãe que jogou filho na parede não teve intenção de matar, diz delegado

Criança foi encontrada sem vida no dia 28 julho; mulher vai responder por dolo eventual e pode pegar até 20 anos de prisão

iG Minas Gerais | CAROLINA CAETANO |

A mulher de 19 anos que confessou ter matado o próprio filho de 2 anos em Ibirité, na região metropolitana de Belo Horizonte, vai responder por homicídio por dolo eventual, quando não tem a intenção de cometer o crime, mas assume o risco da morte. A suspeita atirou a criança contra a parede e, em seguida, escondeu o corpo dentro de um sofá. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da Polícia Civil na manhã desta terça-feira (26).

De acordo com a corporação, o delegado Davi Batista conclui que a jovem, no momento da agressão, não queria matar o menino de 2 anos. A pena para o crime varia entre seis e 20 anos de prisão. Além disso, o laudo realizado pela perícia apontou que Keven Gomes Sobral teve traumatismo craniano.

A mulher está presa há quase um mês depois que contou o que aconteceu na casa da família. A assassina confessa disse que se irritou ao ver o filho mexer no seu celular sem permissão. Após agredir o filho, a mulher colocou a vítima desacordada dentro do sofá da cunhada, em uma casa no mesmo lote em que ela vivia.

No dia 24 de julho, a dona de casa chegou a prestar queixa de desaparecimento da criança. Três dias depois, o corpo foi encontrado. O pai da criança chegou a afirmar que a companheira já havia tentado matar o filho por afogamento quando a criança tinha apenas 4 meses de vida.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave