Medina é campeão no Taiti e dispara no Mundial de Surfe

Bastante emocionado com conquista, surfista brasileiro dedicou triunfo aos compatriotas

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

O brasileiro Gabriel Medina, de apenas 20 anos, segue fazendo história na temporada 2014 do ASP World Tour, o Circuito Mundial de Surfe. Nesta terça-feira, o líder do ranking conquistou o título da etapa do Taiti, em Teahupoo, ao derrotar na decisão o norte-americano Kelly Slater por uma diferença mínima: 18,96 a 18,93 pontos.

A final foi emocionante, com a última nota do norte-americano saindo apenas quando a bateria já havia terminado. Porém, o resultado acabou não sendo suficiente para o 11 vezes campeão mundial derrotar o brasileiro. Na comemoração, Medina chorou e ficou bastante emocionado. "É uma sensação ótima. O mar estava perfeito e estou chorando porque adoro o surfe. É inacreditável. Tenho certeza de que muitos brasileiros viram, essa é para nós", disse.

Derrotado, Slater não poupou elogios ao brasileiro. "Parabéns ao Gabriel (Medina). Ele estava surfando muito bem durante todo o evento e, especificamente, na final. Ele está fazendo uma grande temporada e agora é me preparar para Trestles (próxima etapa, em setembro, nos Estados Unidos) e eu estou ansioso para ver como será o restante deste ano. Promete ser emocionante como foi esse evento aqui no Taiti", disse.

Com a vitória na sétima etapa, Medina não só manteve a liderança do ranking mundial como ampliou a vantagem para o segundo colocado, que agora é o próprio Slater. O prodígio brasileiro de Maresias tem 46.150 pontos, 7.800 a mais que o rival - antes a diferença para o vice-líder, que era o australiano Joel Parkinson, era de 1.750 pontos. Agora, o australiano é o terceiro, dez mil pontos atrás de Medina. Adriano de Souza ocupa a sétima colocação, com 30.600 pontos.

Assim, faltam quatro etapas para o fim da temporada do Circuito Mundial do Surfe e Medina tem boas chances de conquistar o inédito título para o País. "Não sei o que dizer. Minha mãe disse coisas que me inspiraram, estou muito feliz. Eu fiz uma besteira, e o Slater é uma lenda e sabe o que faz. Quando caí, achei que iria perder a bateria. Mas deu tudo certo".

Disputada na praia de Teahupoo, a etapa taitiana teve ondas tubulares muitas vezes superiores a dez pés nas finais. "Esta é a terceira vez que eu venho aqui para o Taiti, mas é a primeira que eu pego Teahupoo tão grande e realmente as ondas são assustadoras lá dentro", contou o brasileiro.

Na semifinal, Medina teve mais facilidade diante do australiano Bede Durbidge, vencendo por 18,67 a 4,17. Isso ajudou o surfista a poupar fôlego para a decisão contra Slater, que teve um duelo muito equilibrado com o havaiano John John Florence. Os dois disputaram a bateria onda a onda e no final terminaram empatados em 19,77 pontos. Como o norte-americano levou uma dez, ganhou no desempate e avançou à final.

A próxima etapa do Mundial de Surfe tem início em 9 de setembro, em Trestles, na Califórnia (EUA). Na sequência os surfistas vão para França e depois para Portugal. O campeonato se encerra no Havaí, na famosa praia de Pipeline.

A consistência e regularidade do brasileiro nesta temporada dão esperanças de que o título mundial realmente pode ser conquistado. Para se ter uma ideia, a pior colocação no ano de Medina foi um 13º lugar e ele já tem três vitórias em sete etapas realizadas nesta temporada.

Leia tudo sobre: gabriel medinacampeaosurfetaitimundial