Prova de fogo para os jovens

Jemerson e Alex Silva terão que lidar com peso da responsabilidade no mata-mata da Copa do Brasil

iG Minas Gerais | FERNANDO ALMEIDA |

Moral. Jemerson vem jogando bem depois que ganhou sequência no time profissional do Galo
Denilton Dias – 6.6.2014
Moral. Jemerson vem jogando bem depois que ganhou sequência no time profissional do Galo

A Copa do Brasil terá início para o Atlético amanhã, contra o Palmeiras, e a pressão por uma conquista inédita em um torneio que não dá margem para erro, principalmente defensivo, invade a Cidade do Galo. Ainda com pouca experiência para manejar com traquejo essa carga extra de responsabilidade, dois jovens atletas tendem a continuar entre os titulares com o apoio do treinador e de seus companheiros.

Alex Silva e Jemerson terão a missão de ajudar a manter a força defensiva, que, com uma dose de sorte, passou ilesa contra o Internacional após oito partidas seguidas sofrendo gols. E a atenção extra na defesa deve, claro, ser compartilhada com os experientes companheiros, que vêm mostrando instabilidade, seja nos erros pontuais de Leonardo Silva ou no imprudente pênalti cometido pelo lateral-esquerdo Pedro Botelho no centroavante do Flamengo Eduardo da Silva no Maracanã. Diante dessa realidade, o técnico Levir Culpi voltou a rasgar elogios ao jovem zagueiro, chegando a compará-lo com Luisinho, ídolo do Atlético na década de 80 e titular da seleção de 82.Contudo, essa evidente habilidade e a calma de Jemerson devem ser lapidadas para não acabar prejudicando em uma eventual falha durante, por exemplo, uma partida importante como um mata-mata da Copa do Brasil. “O Jemerson aparenta tranquilidade, tem o estilo do Luizinho, mas ele ainda abusa um pouco da qualidade que tem, da confiança que tem. Ele domina a bola, sai jogando, mas ele pode perder a bola nesse lance”, disse Levir, lembrando de jogadas do defensor de 22 anos contra o Inter, no último sábado. “Ele matou no peito e saiu jogando umas cinco vezes. O jogador que não tem qualidade manda para fora de cabeça, isso mostra a qualidade que ele tem, mas precisar tomar cuidado, pois pode se complicar em um lance desses”, completou o treinador. Vaias. Com um futebol mais confuso, alternando ataques envolventes e buracos na defesa, Alex Silva acabou sendo vaiado no Independência contra o Colorado. O apoio para o atleta de 20 anos, porém, veio de Levir Culpi, a pessoa que o garante entre os titulares enquanto Marcos Rocha se recupera de lesão muscular. “O Alex sofreu uma pressão, que foi difícil de entender. Tem um empenho físico muito bom e está fazendo parte do time agora. Tem que ter o apoio de todo mundo. Tem que dar força para ele jogar tranquilo. Mas o Alex mostrou personalidade, teve uma atuação mais segura, o que é importante para a sequência. Ele deve jogar a próxima partida também”, finalizou Levir Culpi.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave