Duas pessoas morrem em tiroteios em comunidades pacificadas no Rio

O clima de tensão continuou durante o final de semana e no domingo houve um novo confronto no local

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

 Duas pessoas morreram, nos últimos três dias, vítimas de tiroteios em favelas pacificadas do Rio. José Roberto Lorena Ramos, de 28 anos, morador do Morro dos Macacos, na zona norte, foi morto na última sexta-feira (22). Ele foi baleado durante uma troca de tiros entre policiais da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) da comunidade e criminosos.

De acordo com a polícia, Ramos trabalhava como ourives, mas tinha envolvimento com o tráfico. O clima de tensão continuou durante o final de semana e no domingo houve um novo confronto no local. Segundo a CPP (Coordenadoria de Polícia Pacificadora), o tiroteio feriu dois policiais --eles passam bem.

No mesmo dia, policiais e bandidos trocaram tiros no Irajá, também na zona norte carioca. O confronto matou o policial Flavio Figueiredo Lordello, 32. A morte do sargento, que estava de folga, ocorreu por volta das 21h. Um soldado, não identificado, que acompanhava Lordello, também foi atingido.

Ferido, ele foi levado para o HCPM (Hospital Central da Polícia Militar), no Estácio, na região central, onde permanece em observação. Ainda no domingo, na favela Vila Cruzeiro, um policial levou um tiro no abdome durante uma operação no local. Ele permanece internado. A coordenadoria diz que o conflito foi iniciado pelos criminosos.

Um policial da UPP Alemão, zona norte do Rio, foi internado no HCPM com queimaduras de segundo grau. Ele deu entrada na unidade médica durante a madrugada de domingo. Seu estado de saúde é grave, mas estável. O caso ainda será investigado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave