Sistema de reconhecimento facial é testado em ônibus de Ribeirão Preto

Até o fim do mês, a Transerp e o consórcio devem decidir entre esse sistema e o de reconhecimento da impressão digital, que também vem sendo testado

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O consórcio Pró-Urbano, que administra o sistema de transporte público de Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo), testa o reconhecimento fotográfico como controle antifraude dentro dos ônibus.

Até o fim do mês, a Transerp (Empresa de Trânsito e Transporte Urbano de Ribeirão Preto) e o consórcio devem decidir entre esse sistema e o de reconhecimento da impressão digital, que também vem sendo testado.

Os modelos estão instalados em quatro ônibus da linha do bairro Marinceck e grupos de idosos e pessoas cadastradas servem como participantes dos testes.

"Precisamos analisar a viabilidade dos projetos, como o tempo necessário para as duas verificações e se causam algum atraso no serviço de embarque", disse Reynaldo Lapate, analista da Transerp.

O reconhecimento por imagem não barra um caso de fraude no momento de embarque. O sistema faz quatro fotos do passageiro, as compara com as imagens cadastradas no banco de dados e em um ou dois dias faz o bloqueio do cartão.

No caso do sistema da digital, o bloqueio em caso de fraude acontece na hora e o passageiro fica sem embarcar. Esse modelo, no entanto, tem falhas.

"O reconhecimento da digital pode ter problemas no caso de pessoas que trabalham com produtos químicos, ou na pele. Sem falar que o reconhecimento também dura mais tempo no momento de embarque", disse Lapate.

O Pró-Urbano informou que, depois de escolhido o sistema, tem 12 meses para implantá-lo nos 345 ônibus das 118 linhas do transporte urbano de Ribeirão Preto.

"O equipamento que temos foi cedido pela empresa que faz a bilhetagem eletrônica. Ainda não temos números de investimento e compra", disse o gestor do consórcio Gustavo Vicentini.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave