Exército ucraniano diz combater blindados russos em Mariupol

"Um comboio de várias dezenas de tanques e veículos blindados cruzou a fronteira ucraniana perto da cidade industrial de Mariupol", afirmou o porta-voz das forças de segurança, Leonid Matiujin

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Guardas de fronteira ucranianos combatem dezenas de blindados que atravessaram a fronteira com a Rússia pela região do mar de Azov, informaram as autoridades ucranianas nesta segunda-feira (25).

"Um comboio de várias dezenas de tanques e veículos blindados cruzou a fronteira ucraniana perto da cidade industrial de Mariupol", afirmou o porta-voz das forças de segurança, Leonid Matiujin.

O combate ocorre próximo à cidade de Novoazovsk, a cerca de 10 km da fronteira russa.

Os guardas de fronteira detiveram o avanço dos russos cerca de 5 km a nordeste da cidade, que fica no Mar de Azov, segundo informações dos militares.

Até esta segunda, os combates entre os insurgentes e as forças ucranianas ocorriam em dois locais -próximo a Donetsk e próximo a Lugansk, os dois principais redutos separatistas.

Semen Semenchenko, comandante da milícia pró-governo de Azov, disse em sua página no Facebook que cerca de 50 veículos blindados cruzaram a fronteira da Rússia.

Cerca de 40 deles iam na direção de Mariupol, enquanto o restante se movia para Amvrosiyivka, mais ao norte, disse ele.

Os blindados eram acompanhados por fogo de artilharia disparado do outro lado da fronteira, disse Semenchenko.

Segundo uma moradora de Novoazovsk, as forças rebeldes ocuparam a vila de Markine, a cerca de 7 km da cidade.

Questionado em uma coletiva de imprensa em Moscou sobre relatos de uma incursão na Ucrânia, o chanceler russo, Sergei Lavrov, disse que não ouviu falar do caso, mas que "há uma abundância de desinformação por aí sobre nossa 'incursões'".

Mariupol

Mariupol é uma cidade costeira de 500 mil pessoas no mar de Azov, na região de Donetsk, que fica a 50 km da fronteira com a região russa de Rostov e a 110 km do território controlado pelos rebeldes de Donetsk.

A localidade é o coração da indústria metalúrgica do leste da Ucrânia, onde fica uma das maiores fábricas de metais da Ucrânia.

A cidade chegou a fazer parte da "República Popular de Donetsk, criada pelos separatistas e não reconhecida pelo governo de Kiev, mas foi retomada pelos ucranianos.

Os combates na cidade em 9 de maio deixaram 10 mortos, mas o Exército expulsou os separatistas pró-Rússia dias depois. Mariupol é agora a sede administrativa da região de Donetsk, subordinada a Kiev.

As autoridades regionais divulgaram nesta segunda-feira uma mensagem para tentar tranquilizar a população, na qual afirmam que a administração "funciona com normalidade".

Leia tudo sobre: ConflitoconfrontoRússiaUcrâniamundoabatimentocombatefronteira