Legislatura com mais siglas e idade menor

iG Minas Gerais |

Na última legislatura, o perfil da Assembleia de Minas mudou. Os deputados eleitos eram mais, bem instruídos e com partidos mais diversificados que os antigos colegas. O índice de renovação da Casa foi de 36%, mantendo a média histórica. A média de idade caiu, ficando, em média, em 48 anos.

A profissão mais comum entre os deputados que estrearam seus mandatos na Casa na última eleição foi a advocacia. São seis bacharéis em direito e, ao todo, 13 têm curso superior. Médicos, engenheiros, professores e administradores também compõem a lista. Dos novatos, 11 eram vereadores, ex-deputados ou ex-secretários de Estado.

Na última eleição, foram eleitas quatro mulheres. Minas é hoje um dos Estados com menos cadeiras femininas no Legislativo. O último pleito também ajudou a diversificar a representação partidária no Legislativo mineiro. Das 27 legendas brasileiras que existiam naquele ano, 21 ganharam ao menos uma cadeira, o que significou cinco legendas a mais. (TT)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave