Dilma rebate e critica Marina

Candidata à reeleição, petista diz que declaração de ex-senadora é de ‘quem não tem experiência’

iG Minas Gerais |

Disposição. Dilma concedeu coletiva com direito a interpelar os repórteres com o famoso “meu querido”
[CREDITO]Ichiro Guerra/PT - Divulgação
Disposição. Dilma concedeu coletiva com direito a interpelar os repórteres com o famoso “meu querido”

Brasília. Em resposta à candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, a candidata à reeleição Dilma Rousseff criticou ontem a visão de que o Brasil não precisa de um “gerente". Na avaliação de Dilma, o presidente da República “é um executor” e não “simplesmente um representante do poder”, que “anda para baixo e para cima só representando”.

É a primeira vez que Dilma rebateu a ex-ministra do Meio Ambiente, desde que ela assumiu a cabeça de chapa do PSB na corrida pelo Palácio do Planalto. “Essa história que não precisa (de gerente), de que o país não precisa de ter um cuidado na execução das suas obras e uma obrigação de entregá-las é uma temeridade. Ou é quem nunca teve experiência administrativa e, portanto, não sabe que é fundamental para um país com a complexidade do Brasil dar conta de tudo”, disse Dilma, que concedeu coletiva de imprensa no Palácio da Alvorada.

“Você tem de dar conta na Presidência de tudo, de obra, de aeroporto, de rodovia, ferrovia, porto, tem de dar conta do Bolsa Família, tem de dar conta do Minha Casa Minha Vida, dar conta de todas as obras”, prosseguiu Dilma.

Marina criticou no último sábado, durante o seu primeiro dia de campanha, em Recife, a imagem de “gerente” pela qual Dilma ficou conhecida após as eleição de 2010. Segundo Marina, essa não é uma característica fundamental para chegar à Presidência. “O Itamar Franco não era um gerente. O FHC era um acadêmico. O Lula, um operário. Mas todos tinham visão estratégica e é por isso que equilibraram a economia e reduziram a inflação”, disse a ex-ministra.

Em resposta à candidata do PSB, Dilma disse que o presidente da República é um “executor também”. “Ele (o presidente) não é pura e simplesmente um representante do poder. É mais fácil ser só um representante do poder, tenho certeza”, disparou Dilma.

“Você anda para baixo e para cima só representando, que é o papel, por exemplo, dos presidentes em regimes parlamentaristas. Não é isso, de jeito nenhum, que é o regime presidencialista. Ou então o pessoal está se confundindo: não existe dinastia no Brasil. Tenho certeza que o povo brasileiro sabe disso”, prosseguiu a candidata à reeleição.

Dilma negou atrasos no pagamento de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Edição de ontem do jornal “O Estado de S. Paulo” mostrou reclamações de atrasos em pagamentos do programa. “O atraso que existe é o seguinte: até você empenhar, fiscalizar e pagar, tem um período, (pagamento) não é automático. Tem um delay”, prosseguiu a candidata.

Opinião

Negativa. Questionada se considerava Marina boa gestora, Dilma respondeu: “Meu querido, eu não tenho costume de fazer avaliações sobre pessoas, não me peça isso que não vou fazer”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave