A camisa 9 em questão

iG Minas Gerais |

Na vitória sobre o Internacional, não foi o Atlético que andou dando show em muitos jogos até meados de 2013 e nem o inconstante do segundo semestre do ano passado até agora. Foi um time eficiente, que, com a ida do Diego Tardelli para o comando de ataque, cresceu demais de produção, especialmente com Luan como “garçom” veloz e habilidoso, que já merece ganhar oportunidades reais como titular.  Tardelli não gosta de atuar como centroavante, mas caso aceite a missão, resolverá um grave problema do técnico Levir Culpi, já que André continua da pior qualidade e Jô não correspondeu às expectativas depois do retorno da seleção brasileira.  Dunga convocou a seleção brasileira sem um camisa 9 específico, possivelmente acreditando no potencial de Tardelli nessa função. Isso pode ajudar o comandante atleticano a convencer o jogador a desempenhar esse papel com a camisa alvinegra. Na zaga, o ex-junior Jemerson está formando ótima dupla com Leonardo Silva e não deixa a torcida sentir nenhuma saudade do Réver. Na cúpula, Alexandre Kalil saiu fora da política-partidária e não é mais candidato a deputado. Ótimo para o Atlético e para ele. Resistência. Os noticiários esportivos das redes de TV resistiam à supremacia do Cruzeiro até ontem, antes da derrota do Corinthians para o Grêmio. A goleada do time paulista por 5 a 2 sobre o Goiás repercutiu como se ele tivesse assumido a liderança do Campeonato. Foi assim em 2013 até meados do segundo turno quando a supremacia azul era inquestionável e a mídia nacional teve que admitir. O mercado. A torcida pelo São Paulo também é grande e aumentará com a vitória no clássico contra o Santos. Entre os clubes cariocas, o Fluminense voltou a aparecer como esperança da mídia nacional de incomodar a hegemonia celeste. Não se trata apenas de “torcida” por clubes do Rio e São Paulo, mas de mercado publicitário e altos interesses financeiros dos donos dos direitos de transmissão. Reação americana. Que partida do América contra a Ponte Preta! Sétima vitória consecutiva do Coelho no Independência e o retorno à liderança da Segundona. Disputa acirrada por uma vaga na Série A. O sonho de todo americano é que o time mantenha pelo menos um pouco dessa regularidade caseira também fora. Ressurreição. Com o triunfo em Criciúma, foi a quarta vitória consecutiva do Flamengo, que saiu do buraco e está ressuscitando o técnico Vanderlei Luxemburgo. O rubro-negro já tem destaque na mídia e não demora a ser apontado como candidato ao título. O perigo dessa reação de cariocas e paulistas é a tendência de “erros” das arbitragens a favor deles em confronto com mineiros e gaúchos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave