Negociar pode ser melhor que migrar

iG Minas Gerais |

“O que é bom para um banco é ruim para a gente. Portanto, desconfie de qualquer oferecimento feito pelo telefone. Não confie mesmo. Vá diretamente às agências bancárias e converse com o gerente para saber o que realmente o banco tem a lhe oferecer”, alerta o professor de finanças das faculdades Ibmec, Una e Dom Cabral, Silvério Marinho.

Outra orientação é quanto às taxas e prazos. Para o professor, não adianta um prazo de pagamento muito longo se nele estão embutidos juros altos: “Assim o que você paga no final é um valor muito grande”. E não adianta correr para outro banco que tem juros menores se o tempo para o financiamento é curto. “Aí as parcelas podem ficar muito altas e o cliente não conseguir pagar do mesmo jeito”, afirma Marinho.

A orientação do professor, quando não há dinheiro para pagar, é por uma negociação com o banco, tentando um prazo de carência. “Nesse período fixo, a pessoa deixaria de pagar a dívida, mas voltaria assim que suas finanças se recuperarem. É bom para as duas partes”, diz. (JH)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave