Cidade registra quatro mortes em dez horas

No Vila Cristina, um homem de 25 anos foi fuzilado em um forró

iG Minas Gerais | Camilas Bastos/Evandro Teles |

Marcas de sangue de uma das vítimas de homicídio na madrugada de ontem
Nelson Batista
Marcas de sangue de uma das vítimas de homicídio na madrugada de ontem

Quatro homicídios em um intervalo de apenas dez horas mobilizaram a polícia na noite de ontem em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. Em um deles, um homem de 25 anos foi assassinado na madrugada dentro de um forró do bairro Vila Cristina. Ele foi atingido por cinco tiros por um outro homem de aproximadamente 20 anos.

Conforme as testemunhas contaram à Policia Militar (PM), um grupo de seis homens saiu da festa no começo da madrugada e voltou pouco tempo depois, seguindo direto ao encontro da vítima, Bruno Gomes da Silva. Um deles, com barba e blusa escura, sacou uma arma e deu cinco tiros em Silva, que morreu no local.

Segundo alguns moradores do bairro, brigas e discussões são comuns na casa noturna, principalmente na madrugada, mas é a primeira vez que acontece um homicídio por lá. Segundo a PM, o local seria usado como ponto de tráfico de drogas. O proprietário do estabelecimento não foi encontrado na casa de shows.

Poucas horas antes, no bairro Betim Industrial, um homem de 34 anos foi morto a tiros na rua Padre Osório. “Uma testemunha disse que a vítima Ronnye Von Rodrigues tinha um relacionamento conturbado com a companheira, que não foi encontrada no local. Ela também disse que viu dois suspeitos fugindo do local em uma moto”, disse um policial.

No bairro Jardim Teresópolis, um homem com cerca de 27 anos, que não portava documentos, foi encontrado morto na rua Bom Jardim de Minas, com várisa marcas de tiro.

Por volta das 11h de ontem, um homem de 65 anos foi encontrado morto ontem próximo ao portão de sua casa, na rua 109, no bairro Icaivera, em Betim. De acordo com a Polícia Militar, a vítima Antônio Norberto Januária tinha um grande corte na cabeça. 

“Alguém chamou no portão e meu pai foi atender. Como ele estava demorando para retornar, fui atrás e o encontrei caído”, disse um filho da vítima.

O crime é um mistério já que Norberto não tinha inimigos, nem envolvimento com crimes.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave