Times sem casa para jogar

iG Minas Gerais |

Jornalistas se protegem durante treinos ao soar alarme de bomba
Israel football
Jornalistas se protegem durante treinos ao soar alarme de bomba

Além do campeonato local cancelado, Israel está deixando de receber inúmeros eventos esportivos, entre eles partidas oficiais dos play-offs da Liga dos Campeões e também da Liga Europa em decorrência da instabilidade gerada pelo conflito na Faixa de Gaza.

Desta maneira, os clubes locais estão mandando seus jogos em outros países, como o vizinho Chipre. As implicações dessa “mudança de ares forçada” são enormes, fato que tem gerado reclamações dos jogadores, dirigentes e também da imprensa israelense.

O Maccabi Tel Aviv, por exemplo, atual campeão nacional, é o único que continua vivo por uma vaga na fase de grupos da Liga Europa. Todas as outras equipes israelenses deram adeus ao torneio. O time de Tel Aviv perdeu a partida de ida contra o Asteras-GRE, por 2 a 0, na última quinta-feira e agora terá que reverter o placar em casa. Mas que casa? Ainda não se sabe onde a partida de volta, marcada para o dia 28, será disputada.

“As competições europeias não estão sendo disputadas aqui, e isso é muito ruim para os times de Israel. O Hapoel Beer Sheva, o Hapoel Tel Aviv e o Kryat Shmona já foram eliminados da Liga Europa, e o Maccabi Tel Aviv, atual campeão nacional, deu adeus à Liga dos Campeões. Todos eles mandaram seus jogos em nosso vizinho, o Chipre. É a mesma coisa de um time mineiro mandar uma partida no Rio de Janeiro”, compara o jovem jornalista israelense. “Eu espero que esse conflito não se prolongue. Mas, felizmente, em Israel, se as coisas se acalmarem, em três, quatro dias, voltaremos à nossa vida normal, e os campeonatos acontecem. É sempre assim por aqui”, destaca o repórter esportivo Oren Josipovich.

Euro 2016. A grande preocupação agora é com o futuro da seleção nacional, que no próximo mês irá iniciar a disputa por uma vaga na Eurocopa de 2016.

“Israel enfrenta a Bélgica em setembro, será o primeiro jogo das eliminatórias para a Euro. No entanto, é bem provável que a Uefa não permita que o jogo aconteça aqui. Até mesmo a seleção nacional de basquete está mandando os seus jogos no Chipre. Nenhuma federação esportiva irá deixar seus atletas filiados expostos em uma situação como essa. Para nós, que vivemos o esporte, esses dias estão sendo muito tristes, muito mesmo”, conclui Oren. (JP)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave