FIVB ajudará na investigação

iG Minas Gerais |

Rio de Janeiro. A Federação Internacional de Vôlei (FIVB), com sede na Suíça, informou ontem que está auxiliando as autoridades brasileiras na investigação do furto dos troféus dos Mundiais masculino e feminino da modalidade. Segundo a entidade, as taças furtadas na sexta-feira levaram meses para serem produzidas, mas a empresa responsável pela confecção, também suíça, já foi acionada para fazer duas novas peças.

Os troféus foram levados do caminhão da empresa TNT Express quando o veículo estava no estacionamento do Via Parque Shopping, na Barra da Tijuca. As peças eram transportadas para a sede da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), que fica no mesmo bairro.

Ary Graça, que comanda a federação internacional e é ex-presidente da CBV, classificou o episódio como “lamentável”. “A FIVB trabalhou muito para ter troféus exclusivos”, afirmou o dirigente brasileiro. “Vamos trabalhar com as autoridades brasileiras para tentar recuperar essas peças”, afirmou.

Diferentemente da taça da Copa do Mundo de Futebol, que tem cinco quilos de ouro em sua composição, os dois troféus do Mundial de Vôlei têm pouco valor comercial. Eles são produzidos em níquel. Com bases de prata, as peças furtadas são apenas banhadas a ouro.

O caso é investigado como furto pela Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC). O motorista do caminhão já foi ouvido pelos policiais e as imagens das câmeras de segurança do shopping foram recolhidas. Uma perícia será realizada no local.

Em nota, o Via Parque Shopping informou apenas que “o caso está sendo apurado e investigado pelas autoridades responsáveis”. Procurada, a TNT Express não respondeu aos contatos da reportagem.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave