Oportunidade para questionar

Reportagem de O TEMPO pesquisou sobre propostas e críticas apresentadas por candidatos

iG Minas Gerais | Larissa Arantes |

No encontro com prefeitos do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, ontem, a presidente Dilma Rousseff fez afagos a políticos de partidos que integram seu governo, mas que, no Estado, não apoiam sua candidatura à reeleição. 7Porto Alegre.

Os elogios foram feitos a representantes do PMDB e do PDT. As duas siglas disputam a eleição local contra o governador petista Tarso Genro.

Em seu discurso, Dilma voltou a defender a política econômica dos governos petistas e atacou os 

Mesmo não sendo o programa preferido do brasileiro, a propaganda eleitoral na televisão é a oportunidade para os cidadãos saberem quais são as propostas dos candidatos que pleiteiam assumir o poder. A ferramenta é também um bom momento para o cidadão que vai às urnas no dia 5 de outubro avaliar e, se for o caso, pesquisar mais sobre algumas das informações que são dadas pelos candidatos.

Inspirada pelo projeto “Truco” da “Agência Pública de Reportagem e Jornalismo Investigativo”, a reportagem de O TEMPO acompanhou os primeiros programas eleitorais e analisou o que foi dito pelos presidenciáveis Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) – na primeira inserção que fez, na última quinta-feira, a candidata Marina Silva falou do momento político do PSB, mas ainda não apresentou propostas como nova candidata do partido.

Da mesma forma, os dois principais candidatos ao governo de Minas, Fernando Pimentel (PT) e Pimenta da Veiga (PSDB), também tiveram algumas de suas informações analisadas. A conferência dos dados ou das críticas aos adversários foi feita como base em institutos e órgãos oficiais do país e do Estado responsáveis por fornecer estatísticas sobre as diversas áreas da administração pública.

A proposta é avaliar, por exemplo, se os números utilizados por Pimenta para destacar o desempenho de Minas durante a gestão tucana são verdadeiros. Ou ainda se os dados apresentados por Pimentel para criticar o atual governo são reais.

O cientista político Moisés Gonçalves avalia que a iniciativa é importante para garantir a transparência das informações. “O conhecimento efetivo entre a fala do candidato e a realidade é fundamental para que o eleitor faça uma escolha consciente”, explicou. Marina diz contar com apoio de Serra

Recife. Em sua estreia nas ruas como candidata à Presidência da República, a ex-senadora Marina Silva (PSB) fez um afago ao ex-governador José Serra (PSDB), do partido de um de seus adversários de campanha: Aécio Neves. Ao discursar em Recife, Marina disse que vai contar, caso seja eleita, com apoio de políticos cujas siglas não a apoiam. Citou Pedro Simon (PMDB-RS), Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), Cristóvam Buarque (PDT-DF), Eduardo Suplicy (PT-SP) e o próprio Serra.

“Não é possível que as pessoas não aprendam que temos que nos libertar da velha República”, disse a senadora ao criticar alianças inadequadas. A candidata também fez críticas a Dilma Rousseff. “Não adianta fazer filme bonitinho dizendo que está tudo azul, que está tudo cor de rosa, quando a inflação ameaça corroer o salário dos trabalhadores”, afirmou.

Aécio afirma ter time mais qualificado Salvador. Em sua passagem por Salvador (BA), ontem, o senador Aécio Neves evitou criticar diretamente sua adversária Marina Silva (PSB). Contudo, fez uma referência indireta à suposta falta de experiência da substituta de Eduardo Campos. “Tenho enorme respeito pela Marina, mas ninguém tem o time qualificado que nós temos”, disse o senador.

No discurso, o presidenciável prometeu que, se eleito, continuará com o programa Bolsa Família. “Vamos transformá-lo em um programa de superação efetiva da pobreza”.

Aécio lançou ontem o Plano Nordeste Forte. O programa tem como objetivo o desenvolvimento econômico sustentável da região, além da integração regional. Aécio voltou a criticar a omissão do governo federal na área da segurança pública, classificando-a de “criminosa”. Dima afaga siglas que não a apoiam

Porto Alegre. No encontro com prefeitos do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, ontem, a presidente Dilma Rousseff fez afagos a políticos de partidos que integram seu governo, mas que, no Estado, não apoiam sua candidatura à reeleição.  Os elogios foram feitos a representantes do PMDB e do PDT. As duas siglas disputam a eleição local contra o governador petista Tarso Genro.  Em seu discurso, Dilma voltou a defender a política econômica dos governos petistas e atacou os adversários. “Nós temos dois projetos. Um diz que deve arrochar, cortar gastos. No meu, nós criamos novas vagas de emprego no Brasil. Nós estamos fazendo uma revolução na mão de obra com o Pronatec. Eu acreditei no Brasil quando fui presa e torturada. É nosso dever acreditar quando estamos numa democracia”. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave