Programa vira espaço para brigas

iG Minas Gerais |

Espaço para apresentação de propostas, o horário eleitoral na televisão também já serviu de palco para troca de farpas entre candidatos. Um dos casos mais emblemáticos aconteceu no segundo turno da disputa pela Prefeitura de Belo Horizonte, em 2008. A campanha de Marcio Lacerda, então candidato pelo PSB, colocou no ar um vídeo em que o oponente Leonardo Quintão (PMDB) dizia que iria ganhar e “chutar a bunda deles”. Em seguida, o locutor perguntava: “É isso o que a gente quer para Belo Horizonte?”. O PMDB acionou a Justiça Eleitoral, e Leonardo Quintão ganhou uma inserção de cinco minutos como direito de resposta. Ele saiu derrotado nas urnas.

Já na disputa pela Prefeitura de São Paulo, em 2012, o clima esquentou entre os então candidatos José Serra (PSDB) e Fernando Haddad (PT). A campanha tucana usou a greve nas universidades federais na gestão de Haddad como ministro da Educação para dizer que “não é por mal, mas Haddad não está preparado”. O petista respondeu em seu programa, afirmando que Serra “distorcia informações” e que só não tinha feito mais como ministro porque “a prefeitura (sob gestão tucana) não deixou”. (LV)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave