Fusão que vai de Schubert a Ramones

iG Minas Gerais |

Mestre em performance musical, Isabela Santos é multifacetária e permite-se excursões por outros estilos musicais. De dois CDs de música infantil – sendo um deles, o “Poemas Musicais”, indicado ao Prêmio Tim de Música como melhor CD infantil, em 2004 – a arranjo, composição e canto de jingles (“O da água sanitária Super Globo é inesquecível”), Isabela já fez de tudo um pouco. Até metal progressivo.

Além disso, já fez trabalhos de voz para a rádio Eins (foi a “voz brasileira da rádio durante a Copa do Mundo”) e atua em mais dois coros semiprofissionais: o Internationales Vokal Ensemble Berlin – juntamente com o barítono belo-horizontino André Brant – e o Berliner Frauen Vokalensemble, um octeto formado somente por mulheres. Incansável, ela ainda tem um duo de bossa nova e samba com um violonista norte-americano de raízes cubanas.

A prioridade atual, porém, estava dentro de sua barriga. “Já me desvinculei de todos os meus compromissos profissionais, agora estou somente esperando o nascimento da minha filha”, conta uma envaidecida Isabela, com aquele tom de voz que mistura amor e impaciência, tão característico das mulheres em final de gestação.

O nascimento estava previsto para o último dia 11, mas Rita não quis esperar. Nasceu de parto normal no dia 5, com 3,070 kg e 49 cm. Embalada, é claro, por música: “O parto durou 11 horas. Desde que ela nasceu, meu marido e eu fazemos variações de árias de óperas italianas imitando o chorinho dela”.

Alguma ópera em especial? “Nossa preferida é a ária ‘Fargo al Factotum’, de ‘O Barbeiro de Sevilha’. Mas o Giuliano, meu marido, fez versões de ninar dos Ramones para ela também”. Ramones e “O Barbeiro de Sevilha”. Uma mistura normal, para quem, como Isabela, vive e respira música. (MB)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave