Bienal do Livro muda sistema de senhas para autógrafos de best-sellers

Decisão foi tomada após tumultos registrados neste sábado (23); a partir de agora, organizadores afirmam que passarão a distribuir as senhas de forma digital, no site do evento

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Abertura. A ministra da Cultura Marta Suplicy e a atriz Fernanda Montenegro ontem, no Anhembi
Kelsen Fernandes / Fotos Publica
Abertura. A ministra da Cultura Marta Suplicy e a atriz Fernanda Montenegro ontem, no Anhembi

Após tumultos neste sábado (23), a organização da 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo disse que mudará o sistema distribuição de senhas para as sessões de autógrafo.

Um grande número de fãs passou a madrugada de sexta (22) para sábado no parque do Anhembi, local da feira, para conseguir os bilhetes da sessão de autógrafo da escritora Cassandra Clare, principal atração internacional do evento.Os bilhetes foram dados a partir das 10h.

Para evitar tumulto, a Bienal afirma que passará a distribuir as senhas de forma digital, no site do evento.

Representando a organização do evento, Paulo Octavio Pereira de Almeida, da Reed Exhibitions Alcantara Machado, não vê os problemas como algo negativo. "Não imaginávamos que haveriam tantos jovens ainda interessados por livro. Isso não é um show de rock. Mas sabemos que precisamos melhorar a infraestrutura para o próximo ano".

Cassandra Clare, autora da série infantojuvenil "Os Instrumentos Mortais", atraiu milhares de jovens para a Bienal. Muitos não conseguiram senha para ver sentados a palestra com a escritora e ficaram atrás de uma grade protetora. Houve muito empurra-empurra. Uma menina chegou a desmaiar no meio da aglomeração.

Os poucos seguranças não conseguiram conter os jovens que tentavam pular a barreira. Por alguns minutos, a situação fugiu do controle.

André Martins, 41, pai de uma das jovens que tentava um autógrafo, discutiu com os seguranças. "Chegamos cedo, eram milhares de pessoas e não havia nenhum policial. Todos sabiam que viria tanta gente, eram milhares já confirmados nas redes sociais do evento."

Oscar Maretto, 53, saiu de Ribeirão Preto à 1h10 deste sábado. Ele acompanhava a filha Letícia Moretto, 14, que chegou ainda pela madrugada na fila para conseguir as senhas.

"Era tanta gente pulando a cerca, esbarrando-se, que tive que tirar minha filha do meio da confusão. Fiquei com medo de que alguém fosse pisoteado. Ninguém aprendeu com a Boate Kiss?", disse Moretto. A garota não conseguiu uma senha para um autógrafo de Clare.

Com a grande quantidade de visitantes, o trânsito de pessoas estava difícil na feira. Não havia sistema de voz para anunciar pessoas perdidas no galpão da Bienal.

Marilze Gadamuro, 45, perdeu a sobrinha e a filha durante a confusão. "Estou há mais de uma hora e meia perdida. A desorganização é tanta que nem sistema de voz eles têm aqui. Fui atrás do bombeiro e ele não fez nada. Alguns corredores têm tanta gente que não dá para passar. Nunca mais volto", disse Gadamuro.

Os números dos visitantes serão divulgados oficialmente a partir da manhã de domingo (24). 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave