Brasil bate Rússia e fica perto do título no Grand Prix

Seleção venceu as russas com facilidade por 3 sets a 0 e agora precisa bater o Japão pelo mesmo placar ou por 3 sets a 1 para levantar o troféu em Tóquio, neste domingo (24)

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Central Fabiana é uma das importantes armas do time brasileiro
DIVULGAÇÃO - CBV
Central Fabiana é uma das importantes armas do time brasileiro

A seleção brasileira feminina de vôlei ficou mais perto do 10º título do Grand Prix na madrugada deste sábado (23), ao superar a equipe da Rússia por 3 a sets a 0, com parciais de 25/12, 25/21 e 25/20. Sem dar maiores chances à tradicional rival, o time do técnico José Roberto Guimarães acumulou a terceira vitória seguida e tentará alcançar o troféu neste domingo (24).

Para se sagrar campeão, o Brasil precisa vencer o Japão por 3 sets a 0 ou 3 a 1, na casal do adversário, em Tóquio. Embora não seja uma final, a partida será um confronto direto pelo troféu. As japonesas levam o troféu se vencerem dois sets porque têm vantagem na tabela do hexagonal que decide o Grand Prix. Tem 12 pontos, contra 10 das brasileiras.

Na partida deste sábado, o time nacional contou com grande apresentação das centrais. Fabiana foi a maior pontuadora da seleção, com 17 pontos. Thaísa contribuiu com 12. E, com este desempenho, as brasileiras dominaram as russas desde o início. Só no primeiro set o Brasil marcou mais que o dobro de pontos das rivais. A equipe da Rússia melhorou nas parciais seguintes, mas não o suficiente para ameaçar o triunfo brasileiro.

"Estudamos muito a Rússia. Elas têm excelentes atacantes e, se as jogadoras atacarem por cima do bloqueio, fica complicado. No entanto, conseguimos tocar nas bolas e defendemos bastante. Assim, dificultamos a vida das russas e facilitamos o jogo para nós", comentou Thaísa, eleita a melhor jogadora da partida.

Na avaliação da capitão Fabiana, o desempenho do time brasileiro foi o melhor nesta fase final do Grand Prix. "Essa foi a nossa melhor partida na fase final. Enfrentamos uma equipe forte e conseguimos executar o nosso jogo. Todos os fundamentos funcionaram hoje. Sabemos que ainda podemos melhorar, mas o time foi agressivo o tempo todo e precisamos jogar assim", declarou.

Para a partida deste domingo, considerada a final da competição, Thaísa previu mais um confronto difícil. "As japonesas estão muito bem e vai ser complicado ganhar delas. Está difícil derrubar a bola na defesa nipônica. Esse Grand Prix está muito equilibrado, mas só dependemos de nós. Sabemos da dificuldade de jogar com países asiáticos pela velocidade do jogo. Será uma partida de muita paciência", pregou.

Atual campeão e maior vencedor da história da competição, o Brasil buscará o 10º troféu a partir das 7h05 deste domingo (horário de Brasília), em Tóquio.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave