Pelo menos a aviação ganhou com a Copa

Segundo o consultor técnico da Abear, Maurício Emboaba, a taxa de ocupação foi recorde, com o melhor resultado em 18 meses

iG Minas Gerais | Queila Ariadne |

A Copa do Mundo surpreendeu positivamente a aviação em julho. O presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), Eduardo Sanovicz, disse que esperava uma queda entre 10% e 12% na demanda, em virtude da redução das viagens corporativas, que pesam cerca de 70% do setor. Mas houve acréscimo de 0,5% em relação a julho do ano passado.  

“Esperávamos queda, mas, como o Brasil tem dimensões continentais e não é possível atravessar rapidamente o país pelo sistema rodoviário, o crescimento dos voos compensou as perdas do corporativo”, analisa Sanovicz. Segundo balanço divulgado nesta sexta pela Abear, no acumulado dos primeiros sete meses do ano a demanda cresceu 5,6%. Só no mês de julho, foram mais de 7 milhões de passageiros.

Segundo o consultor técnico da Abear, Maurício Emboaba, a taxa de ocupação foi recorde, com o melhor resultado em 18 meses. Em julho, o setor trabalhou com 81,5% nos voos domésticos e 85,1% nos internacionais. A média acumulada do setor neste ano foi de 79,6%.

A redução estratégica da oferta, que em julho caiu 3,1% nos voos nacionais e 3% nos internacionais, ajudou a manter a ocupação em alta. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave