Outra tentativa na linha de frente

Armadores terão que ajudar mais para a bola chegar em boas condições para o centroavante

iG Minas Gerais | Fernando Almeida |

Oportunidade. Diante da má fase de Jô, André vai ganhar a vaga na linha de frente do Galo
Bruno Cantini/Divulgação – 4.8.2014
Oportunidade. Diante da má fase de Jô, André vai ganhar a vaga na linha de frente do Galo

A paciência acabou. O ataque do Atlético terá uma mudança significativa para o duelo deste sábado, às 18h30, contra o Internacional, no Independência: Jô abre espaço para a entrada de André como centroavante da equipe alvinegra.

O motivo é simples e o técnico Levir Culpi não esconde. Com um jejum de 13 partidas sem marcar um gol com a camisa do Galo, o camisa 7 vive uma fase de pouca confiança e irá rumo ao banco de reservas para, quem sabe, ver o crescimento de André – contratação mais cara da história do clube que ainda busca convencer a torcida que realmente vale o valor especulado de € 8 milhões (cerca de R$ 24 milhões atualmente). “Os dois têm características parecidas, sabem sair da área, boa finalização, cabeceio. Mas um está em mau momento, e entra outro. Mas é possível, sim, essa troca de momento, talvez pelo emocional. Porque o futebol dos dois é do mesmo nível”, destacou Levir Culpi. Diante dessa alteração, porém, uma dúvida invade a mente do torcedor: será realmente Jô o único ponto negativo do ataque alvinegro? O treinador admite que nem todos os problemas podem cair nas costas do atacante. Para resolver as atuações inconstantes do setor ofensivo, o comandante atleticano chama a atenção de seus armadores para alimentar melhor André diante do Inter. “Nesse último jogo, por exemplo (contra o Flamengo), a maioria das bolas ele (Jô) venceu. Mas está sofrendo a falta de aproximação dos atacantes. É uma somatória, a chance chega e a bola não entra, e falta aproximação. Uma série de situações contra ele neste momento. Mas sempre é questão de fase, e ele pode superar tudo isso”, comentou o técnico. Ciente desse problema na ligação entre a defesa e o ataque, André revelou que terá uma conversa com Dátolo e Diego Tardelli para poder olhar com tranquilidade para a arquibancada do Gigante do Horto e ver os sorrisos e as comemorações de gols dos atleticanos. “A bola estava chegando pouco, o Jô tinha poucas oportunidades. É conversar com Dátolo e Tardelli para a bola chegar bem e a gente fazer gols. Espero que todos, não só eu, possam fazer gols”, afirmou André. “Atacante vive de gols. Infelizmente, o Jô não vem fazendo gols. Não que ele esteja mal, mas a bola não estava entrando. E agora chegou o meu momento, a oportunidade de começar jogando”, completou. Base. A inspiração para o Atlético voltar a vencer e retomar a busca pelo G-4 – para só depois pensar em título – poderá ser vista no jogo preliminar que começará a agitar o Independência às 15h. Em embate válido pelas oitavas de final da Taça BH, o Galinho enfrentará o Bahia, no Horto.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave