Pentágono condena avião chinês por interceptação

O secretário do Pentágono informou que a aeronave chinesa realizou uma série de aproximações com o avião P-8 Poseidon da Marinha, chegando a ficar até a 30 metros de distância

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O governo do presidente dos EUA, Barack Obama, acusou uma aeronave militar chinesa de conduzir uma "interceptação perigosa" contra um avião de monitoramento e reconhecimento da Marinha norte-americana em espaço aéreo internacional, na Costa da China. O secretário de Comunicação do Pentágono, contra-almirante John Kirby, informou que Washington enviou um protesto formal ao Exército chinês por meio de canais diplomáticos, chamando as ações do piloto de "inseguras e não profissionais".

Em uma coletiva de imprensa em Martha's Vineyard, no Massachusetts, onde Obama passa férias com a família, o vice-conselheiro de Segurança Nacional, Ben Rhodes, considerou a interceptação uma "provocação muito preocupante" e sugeriu que o incidente poderia atrasar os esforços pela melhora das relações entre os países. "O que nós temos encorajado são laços construtivos de Exército para Exército com a China e esse tipo de ação claramente viola o espírito deste compromisso", disse Rhodes aos repórteres.

Kirby afirmou que a manobra do avião chinês, que ocorreu no dia 19 de agosto, representou um risco para a segurança dos tripulantes norte-americanos e era "inconsistente com a lei internacional habitual". Segundo ele, a ação complica os esforços para melhorar as relações entre as forças militares da China e dos EUA, que muitas vezes são tensas.

O secretário do Pentágono informou que a aeronave chinesa realizou uma série de aproximações com o avião P-8 Poseidon da Marinha, chegando a ficar até a 30 metros de distância. Ele contou que o jato da China passou rolando sobre o Poseidon e também passou por debaixo do nariz do avião norte-americano.

Ele disse que o incidente ocorreu a 217 quilômetros da costa da ilha Hainan, na China. Em 2001, um jato chinês colidiu com uma aeronave de monitoramento norte-americana nas proximidades da mesma ilha, matando o piloto chinês e obrigando o avião dos EUA a realizar um pouso forçado. Após o episódio, Washington cortou suas relações militares com os chineses. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave