A farofa de um duo dinamarquês em BH

Wazzabi se apresenta no Savassi Festival com som “transglobal”, misturando jazz, rock e música eletrônica

iG Minas Gerais | Lygia Calil |

Duo de dinamarqueses nasceu da cena eletrônica de Nova York, no Nublu
Jacob Noel / Divulgação
Duo de dinamarqueses nasceu da cena eletrônica de Nova York, no Nublu

Em tempos em que limites geográficos pouco significam frente à internet, o duo dinamarquês Wazzabi, formado por Thor Madsen (guitarra, computador) e Anders Hentze (bateria), levou as possibilidades que a rede oferece às últimas consequências: produziu um CD enquanto um membro vivia em Copenhague e outro a quase 10 mil quilômetros e um oceano de distância, em Brasília.

O projeto demorou quase três anos para sair, mas finalmente ganhou corpo – e um nome bem brasileiro, “Na Farofa”. Se o título dá a entender que se trata de uma mistura de tudo o que é diferente, acertou em cheio a intenção dos criadores, que passeiam pelo jazz e pelo rock, balizados pela música eletrônica e escoltados por inúmeros parceiros, como os brasileiros Iara Rennó, Leo Cavalcanti e Ava Rocha.

“Pegamos sons de instrumentos virtuais e juntamos com acústicos e valvulados. Mas nossa base, nossa formação é jazzística. Gostamos dessa coisa dinâmica e também por isso muita coisa surge na hora, a partir de improvisos”, explica Anders, que conheceu Thor em 1997, no clube nova-iorquino Nublu, onde tocaram juntos por muitos anos.

Depois de passarem por São Paulo e pelo Rio de Janeiro com o show “Na Farofa”, o duo se apresenta no Savassi Festival, no palco do Cult Club Cine Pub. Na capital mineira, recebe a participação do músico e produtor de música eletrônica PB (Paulo Beto) e do VJ Chico de Paula.

“A gente está bem animado de trabalhar com o Paulo Beto, que é um dos pioneiros da música eletrônica. E essa história de misturar com imagens tem muito a ver com a gente, porque no nosso começo, nos apresentávamos com outro artista dinamarquês que fazia essas intervenções, com clipes, filminhos e imagens. Nosso som combina muito com isso”, afirma o músico, fã incondicional dos brasileiros Chico Buarque, Tom Jobim e Tom Zé.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave