Universidade obteve autorização especial

Nesta quinta, a Liga Brasileira de Epilepsia (LBE) se posicionou sobre o uso do CBD para o tratamento do problema

iG Minas Gerais | Raquel Sodré |

Ainda proibido no Brasil, o canabidiol tem seu uso restrito no país. A USP conseguiu, junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), uma autorização especial para a realização de pesquisas clínicas com a substância.  

A agência liberou também a importação de uma pasta de canabidiol para 37 pacientes com problemas diversos. A maioria são portadores de síndromes que causam crises convulsivas graves.

Nesta quinta, a Liga Brasileira de Epilepsia (LBE) se posicionou sobre o uso do CBD para o tratamento do problema.

Em nota, a organização afirmou solidarizar-se com as famílias e das crianças e adultos com epilepsia refratária, resistente aos fármacos antiepilépticos. Contudo, a liga não se mostrou favorável ao uso da substância. “A segurança e eficácia do CBD necessitam ser melhor estabelecidas por estudos bem conduzidos ”, justifica o texto. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave