Seminário da indústria acontece em Contagem

Fórum deve discutir o fomento industrial na cidade e no Estado e conta com a presença do prefeito Carlin Moura e do ministro Mauro Borges

iG Minas Gerais |

Potência. 

Empresas instaladas na cidade já fabricam equipamentos que podem atender as Forças Armadas
Studio Cerri
Potência. Empresas instaladas na cidade já fabricam equipamentos que podem atender as Forças Armadas

Contagem é conhecida e reconhecida por seu grande polo industrial e atualmente se prepara para se tornar um polo nacional na indústria da defesa.

O objetivo da cidade é aproveitar seu forte caráter industrial, bem como o pujante e diversificado parque já instalado no município, para atrair fabricantes e fornecedores de equipamentos militares.

Dessa forma, Contagem realiza nesta sexta (22) um grande seminário para discutir o fomento da indústria da defesa na cidade e no Estado. O seminário “A Participação da Indústria de Contagem e de Minas Gerais nos Projetos Estratégicos da Indústria da Defesa do Brasil” acontecerá no Actuall Hotel (rodovia Fernão Dias, 3.443, Jardim Riacho das Pedras), das 8h às 17h, e contará com a presença do prefeito Carlin Moura e do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Mauro Borges.

O evento será um fórum para debater sobre a importância da indústria da defesa e as diversas formas de expandi-la em Contagem e em Minas.

Em recente entrevista durante a realização de um evento para discutir a indústria da defesa no país, o ministro Celso Amorim ressaltou a importância do setor. “O avanço da indústria da defesa brasileira é básico para assegurar uma autonomia mínima de uma área vital para que a sociedade possa viver tranquila. Tanto na segurança pública em grandes eventos, como para nos proteger em possíveis conflitos ou até mesmo nas missões de paz nas quais o Brasil participa”.

O prefeito Carlin Moura lembrou que as discussões sobre a potencialização da indústria da defesa em Contagem já estão em curso desde o início do ano. “Estive em Brasília, me reuni com o ministro Celso Amorim para debater o fomento da indústria da defesa em Contagem e em Minas Gerais. Participamos de um seminário na Câmara Federal sobre o assunto. Ficamos honrados em poder contribuir com o fortalecimento do setor produtivo e buscar mecanismos para modernização desse processo. O seminário em Contagem será um importante fórum para que possamos debater o crescimento desse setor em toda Minas Gerais”.

Já o secretário de Desenvolvimento Econômico de Contagem, Marco Aurélio Moreira, lembra que o município possui características propícias para atrair mais investimentos no setor. “Acreditamos que Contagem pode abrigar um polo nacional da indústria de defesa graças à abrangência da cadeia industrial da cidade”, explica.

Segundo ele, algumas empresas instaladas na cidade já fabricam equipamentos que podem atender as Forças Armadas e trabalhar na promoção da paz no país.

Durante o seminário, a empresa Iveco, com sede em Sete Lagoas, apresentará o blindado Guarani. Além disso, as empresas que produzem componentes para a indústria da defesa em Contagem, tais como a Vesta/ Aetra, CNH, GE, Mgnetti Marelli, Telecon Sat, Himoinsa, Arteq, Kuttner e Van Rolland, também apresentarão seus trabalhos e debaterão sobre o crescimento do setor.

Números

 

Empregos: de acordo com a Abimde, as companhias que atuam no mercado de defesa geram, juntas, cerca de 25 mil empregos diretos e 100 mil indiretos, movimentando mais de US$ 3,7 bilhões/ano, sendo US$ 1,7 bilhão em exportação, e US$ 2 bilhões em importação.   Futuro: segundo pesquisa realizada pela associação, esses números podem mais que dobrar nos próximos 20 anos devido aos grandes projetos anunciados pelo governo federal. A expectativa é que os investimentos girem na ordem de US$ 120 bilhões em longo prazo, sendo US$ 40 bilhões já anunciados para programas voltados para vigilância das fronteiras marítimas, aéreas e terrestres do país.   Até 2020: o Brasil tem a possibilidade concreta de praticamente dobrar o número de postos de trabalho altamente especializados. A estimativa é que o setor gere cerca de 48 mil novos empregos diretos e 190 mil indiretos. Já para 2030, a expectativa é de 60 mil novas vagas diretas e 240 mil indiretas.   Fonte: Abimde.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave