Confusões forçam Parada Gay a terminar mais cedo

Segundo a organização do evento, Polícia Militar registrou 118 ocorrências de roubos, arrastões, brigas, pichações e uso de drogas

iG Minas Gerais | DAYSE RESENDE |

Concentração para a festa aconteceu na praça Márcia Martinelli (Senai), no centro</MC><MC> do município
João Lêus
Concentração para a festa aconteceu na praça Márcia Martinelli (Senai), no centro do município

O que era para ser uma grande festa em torno da comunidade LGBT de Betim terminou de maneira jamais prevista pelos organizadores da Parada Gay. A festa, que neste ano chegou à sua 13ª edição, teve que ser encerrada cerca de duas horas antes do previsto devido a confusões.

Segundo uma das lideranças do evento, Cléber Eduardo, relatório da Comissão de Monitoramento da Violência em Eventos Esportivos e Culturais (Comovec) apresentado na terça-feira (19) revelou que, em pouco mais de cinco horas de festa, a Polícia Militar registrou 118 ocorrências de roubos, arrastões, brigas, pichações e uso de drogas. “É uma situação que nos entristece. Trabalhamos quatro meses para realizar uma festa bonita para a comunidade, mas esses fatos pesaram mais. Como organizador da festa, peço desculpas aos betinenses. Faltou policiamento”.

A Polícia Militar, por meio de seu assessor de imprensa, tenente Danilo Antonioni, informou que, de fato, o público estimado superou as expectativas. “Os organizadores esperavam 10 mil pessoas, mas foram cerca de 30 mil. Faltou capacidade de previsão”, disse.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave