Suspeito de matar servidor da Câmara foge de Centro Socioeducativo

Na época do crime, o jovem havia 17 anos e foi apreendido após cometer um ato infracional, agora, depois da fuga, ele é considerado foragido

iG Minas Gerais | CAMILA KIFER |

Gustavo Felipe Sales, de 18 anos, suspeito de matar um funcionário da Câmara Municipal de Belo Horizonte, no bairro Buritis, região Centro-Sul, em janeiro deste ano, conseguiu fugir do Centro Socioeducativo do Horto, na região Leste da capital, nessa quarta-feira (20). Na época do crime, o jovem havia 17 anos e foi apreendido após cometer um ato infracional, agora, depois da fuga, ele é considerado foragido.

Conforme informações da Secretária de Estado de Defesa Social (Seds), o jovem conseguiu fugir na parte da tarde, enquanto participava de uma atividade externa na cidade de Rio Acima, na região metropolitana de Belo Horizonte.

No momento da fuga, Gustavo e outros internos estavam em uma oficina de fotografia com outros cinco internos da unidade, e eram acompanhados por sete agentes socioeducativos. A forma como ele conseguiu deixar o monitoramento ainda não foi esclarecida.

De acordo com a Seds, as atividades externas fazem parte de uma prática recomendada pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e pelo Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase).

A Polícia Militar (PM) foi acionada para registrar a ocorrência e segue realizando buscas pelo adolescente. A direção geral da unidade instaurou um procedimento interno para apurar as responsabilidades pelo ocorrido e também informou o caso à Justiça.

Relembre

No dia 28 de janeiro, um adolescente de 17 anos tentou levar o carro da vítima, que tentou reagir arrancando com o veículo, e acabou sendo baleada na cabeça.

Na ocasião, o delegado Alexandre Oliveira da Fonseca, da Delegacia de Homicídios do Barreiro, que acompanhou o caso, declarou que Christiano D'Assunção Costa, de 34 anos, acabava de sair da academia depois da natação e entrou no Gol prata, para ir para casa. Quando ligou o carro, foi surpreendido pelo adolescente. A vítima tentou arrancar com o veículo, mas acabou levando um tiro na cabeça.

As informações apresentadas no inquérito levantaram a suspeita que Gustavo tenha roubado o veículo porque seu carro, idêntico ao da vítima, estava na oficina por conta de uma batida em Esmeraldas, na Grande BH, como o adolescente estava sem dinheiro para adquirir as peças do conserto, a suspeita é de que ele tentou roubar para usar as peças dele no conserto do próprio veículo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave