Um mergulho no passado

Sabará é a cidade da região metropolitana que mais guardou a história de Minas e do próprio município, até hoje ela mantém um centro histórico

iG Minas Gerais | Por Natália Oliveira e Felipe Bueno |

undefined
“Sabará vale assim como uma introdução ao passado mineiro. Aos que quiserem dar um mergulho nesse rio de superfície tranquila e de camadas inferiores agitadíssimas, aconselho que visitem e estudem primeiro Sabará”. O “conselho” foi dado pelo poeta Carlos Drummond de Andrade no livro “Confissões de Minas”, onde o escritor descreve várias cidades mineiras. De Sabará ele ressalta principalmente suas qualidades históricas. Há 23 quilômetros de Belo Horizonte e com 130 mil habitantes, a cidade ainda mantêm muito da memória de Minas Gerais e do Brasil, no centro do município, a arquitetura guarda sua memória.   Com várias igrejas históricas e com o segundo teatro mais antigo do Brasil, Sabará revela mesmo um passeio pela história. No centro há vários trechos de com construções preservadas, principalmente na rua Direita onde há um conjunto arquitetônico tombado Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Além disso, a cidade tem o segundo teatro mais antigo do país, a Casa da Ópera, que tem a arquitetura baseada na dos teatros europeus de 1.700. O espaço ainda mantém uma vida cultural ativa.   Além da história, Sabará também é conhecida por sua religiosidade e por ser a cidade da Jabuticaba. Todos os anos, as procissões do Encontro e também da Ressurreição atraem centenas de turistas, que também vão conhecer as igrejas do município. Com uma grande oferta de pés de Jabuticaba a cidade ficou famosa pela festa da fruta que acontece anualmente. Durante o evento, são vendidas jabuticabas e também vários derivados dela como doces, geleias, sucos e sorvetes. A cada ano a festa acontece em um local da cidade. Neste ano a festa chegou a sua 27ª Edição.   Sabará também mantêm uma série de manifestações culturais como a folia de reis, a abertura do santo sepulcro na semana santa, a confecção dos tapetes artesanais na festa de corpus christi, o encontro das bandas de música no coreto da praça Santa Rita, os congados, os grupos de seresta, os corais e o carnaval dos blocos caricatos que inclusive é um dos mais procurados da região metropolitana da capital.   História. Segundo historiadores foi por volta de 1.550, cerca de 50 anos depois dos portugueses chegaram ao Brasil que eles decidiram explorar Sabará. Os rios e as Lavras da cidade eram ricos em ouro e prata e fizeram com que o município se tornasse o maior fornecedor de ouro para a coroa portuguesa. Milhares de escravos trabalharam na cidade. A cidade ainda guarda bastante da arquitetura barroca mineira. Sabará também foi palco para a morte de um dos delatores da Inconfidência Mineira, o coronel do regimento de auxiliares de Paracatu, Basílio do Brito Malheiro.   

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave