Em coletiva, Kalil confirma atraso de salários no Atlético

Presidente do Galo ainda alfinetou clube mineiro que estaria devendo o pagamento de carne a fornecedor

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Kalil pediu a ajuda da presidente Dilma Rousseff e do PT mais uma vez
douglas magno
Kalil pediu a ajuda da presidente Dilma Rousseff e do PT mais uma vez

Na mesma entrevista coletiva em que anunciou a desistência da candidatura a deputado federal, o presidente Alexandre Kalil também comentou a situação financeira do Atlético, com foco no atraso dos salários dos jogadores.

De acordo com o dirigente do clube, parte do valor devido aos atletas foi pago, mas ele admitiu que ainda há pendências com o elenco. 

"Já resolvemos um mês (de salário), mais meio (pagamento) direito de imagem. Estamos acertando tudo. A saúde do futebol brasileiro é muito ruim. Um problema inerente do futebol brasileiro. Sei de um clube do futebol mineiro que não ta pagando carne. Pode estar pagando salário, mas não carne, e o nosso fornecedor é o mesmo", comentou Kalil, que alfinetou outra equipe mineira em sua declaração, mas não quis citar nomes. 

"Vamos mantendo, pagando, empurrando. Nunca falamos que o Atlético é time milionário. Quando assumi disse que o time era igual os outros, parar de dizer que somos piores. A gente vive como todos os times, com problemas, com pessoas competentes trabalhando. Estamos com problemas como Corinthians, São Paulo, Vasco, Flamengo, Botafogo. Fazemos parte desse grupo do futebol brasileiro”, acrescentou Kalil. 

Sobre as dificuldades que o Galo tem enfrentado, o mandatário voltou a lembrar do bloqueio do dinheiro da venda do meia-atacante Bernard ao Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, no ano passado. 

"Teve um percalço pequenininho de bloqueio de R$ 60 milhões. A contratação foi manter o time campeão da Libertadores quase todo intacto”, pontuou o presidente do Atlético.