Presidente do PSB diz que indicará novo coordenador-geral de Marina

Amaral tentou minimizar a mudança, afirmando que Siqueira, que é o primeiro-secretário do partido, irá auxiliá-lo no comando da legenda

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

PE - MARINA/CAMPOS/VELÓRIO - POLÍTICA - A candidata a vice na chapa de Eduardo   Campos à Presidência, Marina Silva,   chega à casa   da família de Campos, na   zona norte do Recife (PE), na noite   deste sábado (16).   Dirigentes do PSB   acabaram de deixar a casa de Campos   afirmando que  Marina Silva deve     assumir a candidatura após o acidente   que  o matou. Segundo o novo presidente   da sigla,   Roberto Amaral, todos os   consultados pela direção do partido   endossam a candidatura de   Marina, mas   a definição da chapa só será anunciada   na próxima quarta-feira, após a     reunião da Executiva do partido.      16/08/2014 - Foto: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM/ESTADÃO CONTEÚDO
ESTADÃO CONTEÚDO
PE - MARINA/CAMPOS/VELÓRIO - POLÍTICA - A candidata a vice na chapa de Eduardo Campos à Presidência, Marina Silva, chega à casa da família de Campos, na zona norte do Recife (PE), na noite deste sábado (16). Dirigentes do PSB acabaram de deixar a casa de Campos afirmando que Marina Silva deve assumir a candidatura após o acidente que o matou. Segundo o novo presidente da sigla, Roberto Amaral, todos os consultados pela direção do partido endossam a candidatura de Marina, mas a definição da chapa só será anunciada na próxima quarta-feira, após a reunião da Executiva do partido. 16/08/2014 - Foto: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM/ESTADÃO CONTEÚDO

 O presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, afirmou nesta quinta-feira (21) que o partido irá indicar um novo coordenador-geral para a campanha presidencial de Marina Silva.

Carlos Siqueira abandonou a função na quarta-feira (20) sob o argumento de que Marina foi "grosseira" e "deselegante" com ele.

Amaral tentou minimizar a mudança, afirmando que Siqueira, que é o primeiro-secretário do partido, irá auxiliá-lo no comando da legenda.

O indicado pelo PSB irá trabalhar ao lado do ex-deputado federal Walter Feldman, aliado de Marina e colocado na função após a morte de Eduardo Campos em um acidente aéreo no dia 13.

As cúpulas do PSB e da Rede, o grupo político de Marina Silva, estão reunidas em Brasília para obter o apoio das outras cinco siglas que compunham a coligação de Campos. Há nanicos que ameaçam não aprovar o nome da ex-senadora como a nova candidata à Presidência.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave