A canção autoral feminina

Programação traz hoje shows de coletivo de oito compositoras e cantoras e André Mehmari Trio em locais distintos

iG Minas Gerais | gustavo rocha |

Feminino. Coletivo A.N.A. fará apenas seu segundo show após o lançamento de seu primeiro disco
Henrique Boccelli divulgacao
Feminino. Coletivo A.N.A. fará apenas seu segundo show após o lançamento de seu primeiro disco

O papel da mulher, socialmente falando, tende, ao longo da história, a ser inferior ao homem. O machismo é um mal que perpassa gerações e, por mais, que ele se abrande e algumas discussões de igualdade de condições para ambos os sexos evoluam, ele volta e meia mostra “suas garras”. No campo das artes, que é um reflexo da sociedade, o machismo também aparece.

O coletivo A.N.A. – Amostra Nua de Autoras – é atração hoje, no Teatro Bradesco, dentro da programação do Savassi Festival, e demarca o papel da mulher na música brasileira, em uma vertente pouco comum ou menos conhecida do público: a de compositora.

“Vemos as mulheres como intérpretes, cantoras, mas é muito raro observa-las assumindo o papel de compositoras. Essa não é uma discussão nova, ela já data da década de 1980, mas o quadro segue parecido”, explica Michelle Andreazzi, uma das oito cantoras e compositoras do coletivo.

O show desta noite terá a participação especial da cantora Titane e o público confere o trabalho autoral das artistas que lançaram um disco coletivo em junho e fizeram apenas um show até agora. “É uma coisa muito diferente, porque as pessoas não costumam ver essa quantidade de gente cantando junta. A gente vê, sei lá, três, quatro pessoas, no máximo em ação. Mas oito! É realmente novo para a maioria. Nós fizemos uma pesquisa e a gente busca explorar as potências dessas vozes, fazendo algumas brincadeiras”, exalta a compositora. “O nosso primeiro show, que foi justamente nesse mesmo lugar, foi muito emocionante porque teve uma força muito grande”, completa.

Em uma indústria que costuma lançar nomes e alavancar carreiras individuais, o coletivo A.N.A. busca outra forma de relação. “Nós apoiamos umas às outras, em suas carreiras solos, pensando em uma outra forma de produção, mais horizontal, em rede”.

Ainda que não se intitule um grupo feminista, o coletivo formado por mulheres versa e discute questões do feminismo em seus encontros. “Dentro do coletivo, existem algumas meninas que são mais engajadas, outras que não são tanto. De uma forma geral, a gente discute sobre o papel da mulher. Independente de ser um grupo feminista ou não, temos um desejo de valorizar a mulher no campo da composição e da música”, garante ela.

A iniciativa do coletivo já de desdobrou em conversas com outras compositoras. “Nós tivemos um contato com compositoras do Rio de Janeiro, que querem organizar um encontro e nos procuraram”, revela Andreazzi.

TRIO. O jovem e talentoso André Mehmari também se apresenta na programação do Savassi Festival, essa noite, com seu trio de jazz e orquestra. Com apenas 37 anos, o pianista Mehmari se notabiliza pela composição autoral pelos seus arranjos de importantes orquestras de câmara, como a Osesp, Quinteto VIlla-Lobos, OSB, Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo.

André Mehmari Trio se apresenta no CCBB e o Coletivo A.N.A., no Teatro Bradesco.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave