Para a sua estrela brilhar!

iG Minas Gerais |

Ilustração Hélvio Avelar
undefined

Já reparou em como vivemos com pressa? Sei que você não tem muito tempo pra isso, mas já parou pra pensar que tudo na nossa vida atual é feito correndo, de forma apressada, sem mais aquela paz de anos atrás? Você acorda cedo, toma café rápido porque está atrasado pra ir trabalhar, e, quando deixa o filho no colégio, para em fila dupla porque não dá tempo de procurar uma vaga para estacionar. Você vai pra academia e, correndo na esteira, está com a cabeça lá naquele problema da obra em casa. Resultado: faz dez quilômetros, a 10 km/h e, ligeiro, liga pra dez lugares diferentes, de madeireira a empreiteira, tudo para adiantar e se despreocupar. Você vai ao dentista, mas antes tem que passar no sacolão ou na padaria, no chaveiro ou na papelaria, no mecânico ou na lavanderia. Você tem um compromisso de aniversário à noite e, em vez de curtir a festa tranquilo, já está pensando em como o dia seguinte vai ser difícil, vai ser dolorido, vai ser como hoje, um dia comprido.

Sim... Nossa cabeça está a mil, e não conseguimos mais desacelerar o cérebro. Fazemos uma, duas, três coisas ao mesmo tempo. Enquanto está esperando o trânsito desengarrafar, manda um e-mail pro chefe que era pra ter respondido ontem e já refaz na mente a lista inteira do que precisa comprar no supermercado. Enquanto vai de ônibus pra faculdade, prepara o trabalho acadêmico que terá que apresentar em minutos, mas, sem tirar a preocupação com a mãe doente, salta no ponto anterior e vai à farmácia comprar aquele remédio caro. Enquanto almoça, se atualiza no Twitter. Enquanto coloca gasolina no carro, responde aos e-mails no celular. Enquanto vê a novela, joga um joguinho no tablet. Enquanto dirige, fala ao celular... Imagine se fosse permitido.

A sensação, ao colocar a cabeça no travesseiro e agradecer a Deus por mais um dia, é a de ter vencido mais uma guerra. É aquela velha e boa luta, em que um ou vários leões são mortos não mais por dia, mas por hora. Um militar pernambucano amante das artes e da literatura chamado Sebastião Wanderley, certa vez afirmou: “A vida é dura, é uma guerra diária, e não é fácil encará-la; deve ser conquistada com amor e obstinação. Romancear a vida a torna mais leve, mas não elimina as batalhas que devemos travar no dia a dia. Enfrentar a vida com o coração facilita a nossa forma de vê-la e de planejar para conquistá-la. Os bons pensamentos nos auxiliam, mas não tiram a nossa responsabilidade nem diminuem os obstáculos. O combate é responsabilidade nossa, e devemos assumi-la com todo empenho e disposição. Assim a vitória será certa”.

Temos, realmente, que tentar romancear a vida para que esse combate de funções e ideias não nos derrube no primeiro round. A agenda da vida está sempre cheia, mas você pode deixá-la menos cinza, mais colorida, basta assumir que o otimismo e o pensamento positivo são seus grandes compromissos. E é como diz um daqueles pensamentos que chegam pelo WhatsApp no celular, enquanto você já está no centro da cidade resolvendo mil coisas: “Um mar calmo nunca formou um marinheiro habilidoso”.

Não queira terminar como o carinha do Hermes e Renato, muito menos como o astro Robin Williams. Não dá pra fugir do dia a dia, muito menos da vida. Dê oportunidade à sua estrela cintilante. Nietzsche imortalizou, e você só tem que lembrar: “É preciso ter um caos dentro de si para que a sua estrela possa brilhar”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave