Com Damião, Santos vence Atlético-PR e encerra jejum

Depois de três jogos sem vencer e sequer marcar gols, Peixe acaba com e dupla de ataque aproveita para também matar a sede

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Damião ficou nada menos que cinco meses sem balançar as redes
Ivan Storti/Santos FC
Damião ficou nada menos que cinco meses sem balançar as redes

A noite desta quarta-feira foi de quebra de jejuns para o Santos. Após três jogos sem gols e sem vitórias, o time paulista balançou as redes duas vezes, derrotou o Atlético-PR por 2 a 0, na Vila Belmiro, e se reabilitou no Brasileirão. Leandro Damião e Thiago Ribeiro, também vivendo seca de gols, marcaram pela primeira vez no campeonato.

Para Damião, o resultado foi ainda mais significativo por ter apresentado boa movimentação e participação efetiva nos lances santistas e por ter encerrado um jejum de cinco meses sem gols. Chegou a receber aplausos da torcida ao deixar ao gramado, na contramão das últimas partidas, quando vinha sendo alvo de constantes vaias.

Com mais três pontos, o Santos chegou aos 23 pontos e saltou do 10º para o provisório 7º lugar da tabela. Está agora a três pontos do almejado G4. Já o Atlético estacionou nos mesmos 23 pontos, mas caiu da 7ª para a 9ª colocação.

O Santos, porém, não tem só motivos para comemorar nesta noite. O time perdeu Robinho ainda no primeiro tempo. Com dores musculares, o atacante deixou o campo na maca. O departamento médico não deu detalhes sobre o problema físico. Ele deverá ser avaliado nesta quinta.

O JOGO - Santos e Atlético-PR fizeram um início de partida movimentado e de bons lances ofensivos. Em queda nas últimas rodadas do Brasileirão, o time santista tentou aproveitar o fator casa para se impor, mas esbarrou na postura ofensiva do rival, que não adotou a retranca, apesar de enfrentar Robinho e companhia longe de casa.

E, neste duelo franco, as duas torcidas puderam vibrar com boas jogadas nos minutos iniciais, a começar pela santista. Aos 9, Robinho desperdiçou grande chance ao investir pela direita, após rápido lateral batido por Cicinho, e entrar na área livre. Cara a cara com o goleiro, demorou para finalizar e acabou bloqueado pela defesa.

A reação atleticana foi imediata. Aos 10, Edu Dracena escorregou na área e a bola sobrou para Cléo que bateu no meio do gol e parou em grande defesa de Aranha. Sem dar tempo do rival respirar, o Santos voltou a levar perigo na sequência quando Lucas Lima investiu pelo meio e chutou da entrada da área. Weverton fez a defesa com tranquilidade.

A boa movimentação acabou perdendo ritmo após os 20 minutos de jogo. Bady, que vinha sendo o motor do Atlético, passou a errar passes e o visitante caiu de rendimento. O Santos, por sua vez, passou a apostar nos levantamentos na área, principalmente com Leandro Damião, sem sucesso. Aos 28, o time sofreu importante desfalque. Robinho sentiu dores musculares na perna direita e deixou o gramado mais cedo.

Apesar da baixa de peso, o Santos tentou manter o ritmo e acabou sendo premiado nos instantes finais da etapa. Cicinho investiu na linha de fundo pela direita e cruzou rasteiro para Damião escorar para o gol na primeira trave, aos 44 minutos. Com o gol, o atacante encerrou um jejum de 10 jogos e cinco meses sem balançar as redes - não marcava desde o fim de março.

O segundo tempo começou com a mesma velocidade do primeiro. Os lances de ataque, contudo, foram menos frequentes. A primeira oportunidade surgiu para o Atlético. Aos 6, a zaga santista sofreu uma pane geral e a bola pipocou na pequena área até Mena afastar antes que o ataque atleticano aproveitasse a chance.

A resposta do Santos veio em dois lances de Rildo. No primeiro, ele bateu colocado aos 7. Cinco minutos depois, Damião deu passe açucarado para o atacante, que bateu rente à trave esquerda de Weverton. O time da casa continuava ameaçando na base da correria porque o ataque recebia pouco apoio do meio. Alison e Arouca raramente passavam do meio-campo. Atacando com no máximo quatro jogadores, o Santos apostava no contra-ataque para tentar pegar a defesa atleticana despreparada.

Mais retraído, o time de Oswaldo de Oliveira só conseguiu chegar ao segundo gol quando Arouca resolveu dar maior contribuição ao ataque. Foi seu o passe para Mena, que cruzou para cabeçada certeira de Thiago Ribeiro, livre de marcação na pequena área, para as redes, aos 21.

Daí em diante, o Santos se segurou na defesa, com Arouca e Alison novamente reforçando a zaga. Sem o mesmo ímpeto do início o Atlético não conseguia levar o mesmo perigo de antes e parava facilmente na zaga rival. O time visitante ainda teve grande chance para reduzir o placar nos acréscimos.

Aos 48 minutos, David Braz fez falta boba em Marcelo dentro da área. O árbitro não hesitou e assinalou a penalidade. Na cobrança, porém, o próprio Marcelo encheu o pé e mandou no travessão, no último lance da partida.

Na próxima rodada, o Santos fará o clássico com o São Paulo, domingo, no Morumbi. O Atlético vai duelar com o Bahia, em casa, na Arena da Baixada, no mesmo dia.

FICHA TÉCNICA:

SANTOS 2 x 0 ATLÉTICO-PR

SANTOS - Aranha; Cicinho, David Braz, Edu Dracena, Mena; Alison, Arouca, Lucas lima, Thiago Ribeiro (Stéfano Yuri); Leandro Damião (Souza) e Robinho (Rildo). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

ATLÉTICO-PR - Weverton; Sueliton, Dráusio, Léo Pereira, Natanael; Deivid, João Paulo (Otávio), Bady (Dellatorre), Marcos Guilherme (Douglas Coutinho); Marcelo e Cléo. Técnico: Doriva.

GOLS - Leandro Damião, aos 44 minutos do primeiro tempo. Thiago Ribeiro, aos 21 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Léo Pereira e Dráusio.

ÁRBITRO - Igor Benevenuto (MG).

RENDA - R$ 129.285,00.

PÚBLICO - 4.612 pagantes.

LOCAL - Estádio Vila Belmiro, em Santos (SP).

Leia tudo sobre: santospaixedamiaothiago ribeirovitoriafutebol