Funcionários da Copasa protestam e causam lentidão na capital

Cerca de 600 trabalhadores marcharam da BR-356 até a sede da empresa, na rua Mar de Espanha, no Santo Antônio

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Manifestantes desceram a avenida Nossa Senhora do Carmo e tumultuaram o trânsito
Natanael Santiago / Web Repórter
Manifestantes desceram a avenida Nossa Senhora do Carmo e tumultuaram o trânsito

Cerca de 600 funcionários da Copasa protestam no início da tarde desta quarta-feira (20) e complicam o trânsito desde a avenida Nossa Senhora do Carmo, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, até a BR-356, na altura do bairro Olhos D'água, na região do Barreiro. De acordo com a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), o trânsito fluía em apenas uma pista na avenida durante a passagem dos manifestantes.

Apesar do número de trabalhadores divulgado pela polícia, o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Purificação e Distribuição de Água e em Serviços de Esgotos do Estado de Minas Gerais (Sindágua-MG) afirma que pelo menos mil funcionários da empresa participam do ato. "A nossa data base de acordo coletivo era em maio. Apresentamos a proposta desde março e a Copasa apresentou uma proposta que dá aos empregados um reajuste no INPC de 5,82%, o que deixou a categoria insatisfeita", defendeu o advogado do sindicato Welber Neri.

Os  trabalhadores teriam feito a reivindicação de 20 itens, tendo como pontos principais uma política salarial mais justa e que realmente remunere melhor o empregado; ganho real de 3,85%; mudança de alguns critérios da política de gratificação de desempenho institucional; e a questão da diferença salarial entre trabalhadores da capital e  do interior, que ganham menos.

"Tivemos quatro negociações no Ministério Público do Trabalho (MPT), que tentou mediar e não conseguiu nada. Na quinta-feira passada estivemos no Tribunal Regional do Trabalho e a Copasa não deu nada. O problema é que os funcionários sabem que a empresa está tendo lucro bem melhor do que no ano anterior. Tanto que estão até antecipando os dividendos dos acionistas recentemente, quando normalmente saem em janeiro e fevereiro", explicou advogado.

Os manifestantes descem pela avenida Nossa Senhora do Carmo e pegarão a avenida do Contorno, a rua Carangola e por fim se reunirão na porta da sede da Copasa, na rua Mar de Espanha, no bairro Santo Antônio. "Estamos em greve por tempo indeterminado em todo o Estado, são 623 localidades. Durante este to vamos combinar a localidade dos protestos de quinta-feira (21) e sexta-feira (22).