Brasil leva duas pratas e um bronze histórico na China

Calderano conseguiu fazer história ao se tornar o primeiro atleta do Brasil a conquistar uma medalha olímpica no tênis de mesa

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

O Brasil garantiu a conquista de mais três medalhas, nesta quarta-feira, em novo dia de disputas dos Jogos Olímpicos da Juventude, em Nanquim, na China. Revelação da natação brasileira Matheus Pereira faturou a prata na prova dos 50 metros livre, enquanto Bianca Rodrigues também ficou em segundo lugar no hipismo por equipes. Para completar, Hugo Calderano conquistou um histórico e inédito bronze para o tênis de mesa brasileiro.

Recordista mundial júnior dos 100 metros livre, Pereira esperava conquistar o ouro nesta quarta, mas acabou cravando o tempo de 22s48 e foi superado com certa folga pelo chinês Yu-Hexin, ouro com a marca de 22s01. O bronze foi para o atleta de Trinidad Tobago, Dylan Carter, com 22s53. E essa foi a segunda prata obtida pelo brasileiro nestes Jogos da Juventude, depois de ter ficado em segundo lugar também no revezamento 4x100m livre misto.

Já a medalha no hipismo veio por meio da participação da brasileira Bianca Rodrigues na equipe sul-americana, que também contou com o uruguaio Francisco Martinez, a argentina Martina Campi, o chileno Antoine Porte e a paraguaia Valeria Caballero. Esse quinteto só ficou atrás de um time formado por atletas europeus na prova do hipismo por equipes do evento.

BRONZE HISTÓRICO - No tênis de mesa, Calderano conseguiu fazer história ao se tornar o primeiro atleta do Brasil a conquistar uma medalha olímpica na modalidade. O carioca obteve o feito ao vencer o taiwanês Heng-Wei Yang por 4 sets a 2, com parciais de 11/9, 11/8, 11/9, 9/11, 9/11 e 12/10, na decisão do terceiro lugar.

Terceiro cabeça de chave da competição, o mesa-tenista de 18 anos de idade acumulou seis vitórias e apenas uma derrota, para o japonês Yuto Muramatsu, segundo favorito, nas semifinais.

Essa foi a primeira medalha olímpica do Brasil no tênis de mesa, sendo que apenas em uma Paralimpíada o País havia subido ao pódio anteriormente em uma competição do Comitê Olímpico Internacional (COI) neste esporte. No caso, Welder Knaf e Luiz Algacir foram vice-campeões por equipes na Classe 3 da modalidade nos Jogos Paralímpicos de Pequim, em 2008.

Com os três pódios desta quarta, o Brasil passou a contabilizar seis medalhas em Nanquim. São dois ouros, obtidos no judô e no tae kwon do, três pratas (duas na natação e uma no hipismo) e um bronze no tênis de mesa.

Leia tudo sobre: brasilconquistamedalhashistoricochinajogos da juventude