Brasil perde invencibilidade, e Zé Roberto exalta Turquia

Técnico José Roberto Guimarães, no entanto, já começou a projetar o duelo diante da China e evitou fazer duras críticas as suas comandadas

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Depois de acumular nove vitórias em nove jogos, a seleção brasileira feminina de vôlei foi perder justamente em seu jogo de estreia na fase final do Grand Prix, nesta quarta-feira, em Tóquio, onde acabou superada pela Turquia. As turcas surpreenderam com um triunfo por 3 sets a 2, com parciais de 25/18, 25/23, 21/25, 19/25 e 15/12, no Ariake Collesium, no Japão.

Por ter vencido dois sets, o Brasil ao menos somou um ponto nesta abertura do estágio derradeiro da competição, no qual o time nacional volta a atuar nesta quinta-feira, às 3 horas (de Brasília), contra a China, que nesta quarta derrotou a Bélgica por 3 a 1. As chinesas já somam três pontos, enquanto as turcas acumulam dois.

Ciente de que agora a seleção brasileira precisará de uma vitória nesta quinta, o técnico José Roberto Guimarães já começou a projetar o duelo diante da China e evitou fazer duras críticas às suas comandadas. Ele preferiu exaltar a boa atuação da Turquia, que é uma nova força emergente no cenário do vôlei feminino mundial.

"Tenho que parabenizar a Turquia pela vitória. Elas fizeram os dois primeiros sets e o tie-break muito bons", ressaltou o treinador, que depois completou: "Nosso time teve muitas falhas no passe, principalmente nos dois sets iniciais. Conseguimos reverter a situação no terceiro e no quarto sets com a entrada das jogadoras que estavam no banco e fiquei feliz por isso. No tie-break, a Turquia foi soberana. No entanto, sabemos que temos muito trabalho pela frente e já vamos pensar na China".

A oposto Tandara, por sua vez, se destacou como maior pontuadora do Brasil, com 20 acertos, depois de ter substituído Sheilla no terceiro set. E, após a boa atuação, ela destacou que não adianta ficar lamentando a derrota para as turcas.

"Quem está no banco tem que ficar atenta para entender o que não está dando certo. Combinamos que a jogadora que entrasse iria para quadra sorrindo buscando mudar o astral da equipe. Foi isso que tentei fazer, mas infelizmente não conseguimos a vitória. No entanto, ainda temos muito campeonato pela frente e já temos que pensar na China", disse a jogadora.

O JOGO - Favorito a conquistar uma vitória nesta quarta, o Brasil foi surpreendido pela Turquia já a partir do primeiro set. Depois de um início de jogo equilibrado, a seleção europeia começou a deslanchar e foi para o segundo tempo técnico em vantagem de 16/11 e, com força no bloqueio, chegou a fazer 19/13 e depois fechou a parcial em 25/18.

No segundo set, as turcas mais uma vez exibiram força no saque e no bloqueio e foram mais uma vez para a segunda parada técnica com boa vantagem (16/12). A seleção brasileira, porém, reagiu e chegou a virar para 17/16 após uma boa sequência de saques de Sheilla. E o equilíbrio foi a tônica até o final da parcial, na qual a Turquia foi melhor nos momentos decisivos para aplicar 25/23.

Pressionado, o Brasil voltou mal para o terceiro set e a Turquia parecia que iria encaminhar seu triunfo rapidamente ao abrir 12/6. Entretanto, Zé Roberto conseguiu mudar o cenário da partida ao sacar Fê Garay e Thaísa e promover as entradas da ponteira Gabi e da central Carol. Com forte reação, o time nacional conseguiu virar o placar no 18/17 e depois partiu rumo ao triunfo por 25/21.

Empolgadas e confiantes, as brasileiras começaram bem o quarto set, logo abriram 6/2 e foram para o segundo tempo técnico em vantagem de 16/12. Entretanto, as turcas voltaram a reagir e empatam a partida em 17/17. Porém, após as entradas de Sheilla e Fabíola e as saídas de Dani Lins e Tandara, o Brasil voltou a deslanchar, abrindo 21/17 e depois empatando o jogo ao fechar a parcial em 25/19.

Já o tie-break começou com a Turquia melhor, abrindo 4/1 logo de cara. Mesmo sofrendo para recepcionar o saque turco, o Brasil reagiu e ficou um ponto atrás no 9/8, mas as europeias foram mais regulares e acabaram fechando o jogo em 15/12.

No fim, a Turquia teve premiada as atuações decisivas da oposto Sonsirma e da ponteira Ozsoy, respectivamente com 23 e 21 pontos enquanto o Brasil, deficiente no ataque, teve Jaqueline como segunda maior pontuadora, com 14 acertos.  

Leia tudo sobre: brasilperdeinvencibilidadefasefinalgrand prixturquia