Duzentas vezes, e pra sempre

De olho no grupo dos quatro primeiros, time tem desafio, hoje, às 22h, contra o Flamengo, no Rio

iG Minas Gerais | Thiago Prata |

Douglas MAGNO - 23.7.2014
undefined

Dos pés dele surgiram dribles magistrais, jogadas de efeito, cruzamentos certeiros, passes cirúrgicos e gols. Muitos gols. Foram tantos que seu nome e a palavra “gol” até se confundem. Essa “confusão”, aliás, se transformou num dos gritos mais clássicos da história do futebol mineiro. “Tardelli. Gol! Gol!” Um homem que tem a cara do clube. Um atleta que exala raça, persistência e técnica. Um jogador que virou um torcedor. Essa forte identificação resultou em 199 partidas com a camisa preta e branca. Mas, a história não acabou. E, ao que tudo indica, irá reservar vários outros momentos épicos, como, quem sabe, nesta quarta-feira.  

No embalo da convocação de ontem para a seleção brasileira, o artilheiro dos 103 gols completará uma marca digna de poucos. Assim que o juiz apitar o início do confronto contra o Flamengo, hoje, às 22h, no Maracanã, pela 16ª rodada do Brasileiro, DT9 irá completar 200 embates sob o uniforme do Galo. Um uniforme que ele começou a honrar no início de 2009 e que lhe rendeu os episódios mais gloriosos de sua carreira.

Trajetória. No começo daquela temporada, Tardelli foi pego de surpresa ao saber que deixaria o Flamengo e que seu destino seria o Atlético. Ele parecia não ter gostado muito da ideia. Mas, assim que as partidas no novo clube foram acontecendo, sua opinião mudou. E como mudou. No time alvinegro, o jogador ganhou status de protagonista. De craque. De ídolo.

Foi artilheiro do Brasil, marcou seu nome na história dos clássicos contra o Cruzeiro, foi convocado para a seleção brasileira em 2009 e 2010 – e volta a ser lembrado, de novo, por Dunga –, conquistou dois Campeonatos Mineiros (2010 e 2013), a Libertadores do ano passado e a Recopa Sul-Americana deste ano. Pelos serviços prestados, recebeu uma justa homenagem da Massa pelos cem gols marcados.

Parafraseando o cântico a Pelé – criado pelos brasileiros durante a Copa de 2014 –, a torcida entoava em uníssono: “cem gols, cem gols, cem gols, cem gols, cem gols. Sou Galo, sou Galo. Tardelli matador”, no jogo decisivo da Recopa. E que local e momento seriam mais propícios do que num Mineirão lotado e uma partida que rendeu ao clube uma taça?

Chega a ser curioso e irônico que o 200º jogo de Tardelli aconteça justamente contra o time que defendia até 2008 e o qual não queria deixar em 2009. Mas, como o próprio atacante ressaltou em tantas oportunidades, o Galo se tornou a segunda casa do goleador. “Minha vida se resume a antes do Atlético e depois do Atlético”, disse o atacante em várias oportunidades, demonstrando grande amor pelo clube e sua torcida.

Por si só, a partida da noite desta quarta-feira será memorável para DT9. Porém, a Massa espera que a ocasião se torne ainda mais especial, com uma vitória do Atlético e gol de Tardelli, como um prêmio a um atacante que faz jus à camisa que veste.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave