Celestes pregam respeito e rechaçam vida fácil na Copa do Brasil

Primeiro confronto entre as equipes pelas oitavas de final será no dia 27 de agosto, às 19h30, no Mineirão

iG Minas Gerais | GABRIELA PEDROSO e BRUNO TRINDADE |

Júlio Baptista pede atenção a possíveis dificuldades, mas confia em potencial do Cruzeiro
Cruzeiro/Divulgação
Júlio Baptista pede atenção a possíveis dificuldades, mas confia em potencial do Cruzeiro

De um lado, o tetracampeão da Copa do Brasil, e do outro, uma equipe modesta que, pela primeira vez, disputará a competição. Apesar de o Cruzeiro ser o inquestionável favorito no confronto com o Santa Rita-AL pelas oitavas de final do torneio, o duelo é tratado com respeito total pelo elenco celeste. O lateral-esquerdo Egídio admite que não conhece o rival, mas afirma que isso não muda a forma da Raposa jogar. "Não conhecemos (o Santa Rita). Mas se chegaram nesta fase, é porque têm mérito. O futebol é uma caixinha de surpresas. Não podemos facilitar. Independentemente de quem esteja do outro lado, temos que jogar como se fosse contra um time de ponta, vamos fazer assim. Nós vamos entrar com tudo e focados na Copa do Brasil", garantiu o ala. Experiente, o meia Júlio Baptista ressalta que adversários como o Santa Rita, muitas vezes, costumam complicar mais que o normal. O primeiro confronto entre as equipes será no dia 27 de agosto, às 19h30, no Mineirão. "Esses jogos são os mais difíceis. As pessoas acreditam que esses jogos vão ser fáceis e esses adversários acabam complicando por não ser jogo tão aberto. E tem ainda o fato de ter esse dever nosso de entrar e ganhar. Quando se entra em campo, a situação é mais difícil. Mas tenho certeza de que vamos conseguir bons resultados", afirmou. O Santa Rita pode não figurar entre os grandes clubes do futebol brasileiro, mas os números na Copa do Brasil indicam que a Raposa deve mesmo ter atenção. Principal surpresa desta edição, o time de Alagoas tem, ao lado do Ceará, o melhor ataque entre os clubes que classificaram para a próxima fase, com 13 gols em seis jogos. "A gente sabe que, no futebol, se entrar mole, podemos ser surpreendidos. Já tivemos exemplos na própria Copa do Brasil. Temos que entrar ligados e sempre almejando o título", reforçou Egídio. Caso passe pelos alagoanos, os cruzeirenses terão pela frente o vencedor do confronto entre Vasco e ABC, pelas quartas de final. Nas semifinais, o time celeste pode encontrar com Santos ou Grêmio. Os atletas da Raposa também não enxergam um caminho mais fácil até uma possível final. “Isso não existe. Isso de fácil é só falando. Dentro de campo, é totalmente diferente. Independentemente do time que vai jogar, a dificuldade é sempre igual. A gente vai jogar lá contra eles e sabe que não teremos facilidade. Qualquer time que vai jogar coloca uma dificuldade incrível. Para chegar (na final), vamos ter que suar muito e continuar no nível que estamos”, afirmou Baptista.

Leia tudo sobre: cruzeirojogodificilsanta ritacopa do brasiloitavas de final