Atlético marca no fim e empata com Real na Supercopa

James Rodríguez colocou os merengues na frente, mas Raul García igualou no fim para os Colchoneros

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

O cenário estava pronto para que James Rodríguez fosse o herói na primeira partida da final da Supercopa da Espanha, nesta terça-feira. O artilheiro da última Copa do Mundo deixou o banco no intervalo e marcou o gol que ia selando a vitória do Real Madrid, mas aos 42 minutos do segundo tempo Raul García acabou com a festa do colombiano e da torcida que lotou o Santiago Bernabéu, e garantiu o empate por 1 a 1 para o Atlético de Madrid. O resultado deixou o Atlético em boa situação para conquistar seu primeiro título oficial na temporada. A equipe pode até ficar no empate por 0 a 0 na partida de volta, sexta-feira, em seus domínios, no Vicente Calderón, que se sagrará campeã. Ao Real, resta vencer ou empatar por um placar superior a 1 a 1. O empate premiou a determinação do Atlético, uma vez que o Real Madrid foi superior tecnicamente durante quase os 90 minutos. A equipe de Diego Simeone, no entanto, mostrou muita garra para marcar e provou que pode voltar a incomodar os principais clubes da Europa mesmo tendo perdido alguns de seus principais nomes da última temporada, como Courtois, Filipe Luis e Diego Costa. O JOGO - O Real Madrid começou melhor, dominando a posse de bola e tocando rápido. Perdido, o Atlético de Madrid usou da violência para parar os adversários. As melhores chances, no entanto, foram dos visitantes. Aos 13, Mandzukic aproveitou sobra e tentou de longe, fácil para Casillas. Um minuto depois, Saúl aproveitou falha de Sergio Ramos, ganhou na corrida e desta vez deu mais trabalho para o goleiro adversário. Apesar do maior volume de jogo, o Real não conseguia superar a barreira adversária e por isso pouco finalizou na primeira etapa. A melhor oportunidade da equipe nos primeiros 45 minutos aconteceria somente aos 41, quando Marcelo foi à linha de fundo e cruzou para Cristiano Ronaldo, que cabeceou à esquerda de Moya. O português, no entanto, estava sumido do jogo e, sentindo dores na perna esquerda, não voltou para o segundo tempo. Em seu lugar James Rodríguez, que deu mais mobilidade ao Real. A equipe passou a atacar mais e assustou logo com um minuto. Bale recebeu pela direita após bela jogada com Carvajal e encheu o pé para boa defesa de Moya. A pressão passou a ser toda dos anfitriões, mas a violência voltou a dar as cartas em ambas as equipes, fosse pela entrada dura de Guilherme Siqueira em Bale ou pelo soco acertado por Sergio Ramos em Mandzukic. Somente aos 23 o Real voltou a assustar, quando Bale encheu o pé na falta, Moya teve dificuldade para espalmar e a bola sobrou para Toni Kroos, que estava sozinho, mas pegou mal e isolou. Aos 32, foi a vez de Benzema ter boa oportunidade, mas cabecear por cima. Pouco depois, Di María veio a campo no lugar de Modric e também ajudou a melhorar o Real, que ficou mais ofensivo. Aos 35, saiu o gol. Após cruzamento de Carvajal pela direita, Benzema tentou a finalização, mas foi travado. A sobra ficou com James Rodríguez, que bateu e ainda contou com desvio para tirar Moya da jogada. O Atlético acordou e fez o que não estava fazendo durante os primeiros 80 minutos: atacar. Logo após o gol, Miranda teve boa chance pelo alto, mas jogou para fora. Aos 42, no entanto, Raul García não perdoou. Em uma das principais armas da equipe, o meia aproveitou o escanteio da esquerda e tocou para a rede para definir o placar.