Moradores dizem que motorista de ônibus escolar tem problema de vista

Segundo familiares de alunos que usam o transporte, todos os veículos utilizados apresentam problemas estruturais

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

CIDADES TAQUARACU DE MINAS BH: ONIBUS ESCOLAR COM APROXIMADAMENTE 27 CRIANCAS PERDE O FREIO E MOTORISTA JOGA O VEICULO EM UM BARRANCO. 

FOTOS: DENILTON DIAS / O TEMPO / 04.9.2013
DENILTON DIAS / O TEMPO
CIDADES TAQUARACU DE MINAS BH: ONIBUS ESCOLAR COM APROXIMADAMENTE 27 CRIANCAS PERDE O FREIO E MOTORISTA JOGA O VEICULO EM UM BARRANCO. FOTOS: DENILTON DIAS / O TEMPO / 04.9.2013

Após o acidente envolvendo um ônibus escolar que deixou 28 passageiros feridos, ocorrido na tarde de segunda-feira (18), moradores de Taquaraçu de Minas, na região Central do Estado, denunciam que o condutor do veículo no momento da batida, o secretário de Agricultura e Meio Ambiente da cidade, Ildeu Eduardo Moreira, teria problemas de vista. Além disso, pais de alunos afirmam que este já é o quarto acidente envolvendo transporte escolar municipal, sendo o último deles em agosto de 2013, quando 24 crianças sofreram ferimentos. 

Aline Rodrigues Pimentel, 21, é moradora da cidade desde que nasceu e tem dois filhos de 3 e 4 anos que utilizam o transporte da prefeitura. "Ele é motorista da agricultura, mas o motorista teve problema e ele conduziu. O problema é que desde a hora do acidente estão falando que ele tem problema de vista, por conta da glicose alta", afirmou a mulher. Os filhos da denunciante não estavam no veículo, porém, acompanharam tudo por o acidente ter acontecido próximo de sua casa. 

"Parece que ele não viu as sinalizações de uma obra que é feita na estrada e subiu em um monte de cascalho, até arrancou a placa do coletivo. Na hora do acidente todo mundo que estava dentro comentou disso do problema de vista", lembrou Aline.

Arlene Rodrigues Pimentel, 42, tem sete filhos com idades entre 8 e 17 anos que utilizam o transporte escolar e dois netos, de 2 e 3 anos. "São veículos sem segurança alguma, sem cinto de segurança, com bancos e janelas quebradas. Esta já é a quarta vez que tem acidente, já teve ônibus sem freio, outro que rolou na ribanceira", contou. 

Ainda de acordo com Arlene, felizmente nenhum de seus filhos estava no veículo na hora do acidente. "Mas de qualquer forma ficamos todas preocupadas. São muitas as mães que estão reclamando desses veículos, que muitas vezes não tem condições para transportar nossos filhos, transportam como animais", protestou a mulher. 

Secretaria nega

Procurada por O TEMPO para comentar sobre as denúncias, a Secretaria Municipal de Educação de Taquaraçu de Minas informou que o condutor do coletivo possui a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para conduzir o veículo. Além disso, não existem informações de que ele teria problema de visão e, para constatar isso, seria necessário fazer um laudo médico. 

Ainda conforme o órgão, todos os veículos da secretaria tem um laudo técnico de vistoria emitido pelo Departamento Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG), estão com a documentação em dia e estão com o seguro obrigatório pagos. Ainda segundo o órgão, todos os feridos nesta segunda receberam alta hospitalar no mesmo dia. 

Em agosto do ano passado, um micro-ônibus escolar com 30 passageiros bateu em uma estrada de terra e deixou 24 crianças feridas na cidade. Dois meninos, de 6 e 16 anos, e uma menina, de 14, tiveram traumatismo craniano e precisaram ser levados para o HPS João XXIII, na capital. Segundo a secretaria, o veículo acidentado no ano passado era terceirizado e já não está mais sendo usado pela administração. O coletivo que se acidentou na segunda pertence à prefeitura.