Operação contra fraude no leite prende 20 no sul

Também foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão em unidades industriais, residências e propriedades rurais nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O Ministério Público de Santa Catarina está investigando, com a colaboração de autoridades do Rio Grande do Sul, uma nova fraude que envolve o uso de formol na produção de leite. Na manhã desta terça-feira, 19, uma força-tarefa dos dois Estados cumpriu 20 mandados de prisão e 11 de busca e apreensão em cidades catarinenses e uma gaúcha.

As operações, denominadas de "Leite Adulterado I" e "Leite Adulterado II", prenderam 14 homens e seis mulheres nos municípios de Lajeado Grande, Ponte Serrada e Mondaí, todos em Santa Catarina, e Vista Alegre, no Rio Grande do Sul. Também foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão em unidades industriais, residências e propriedades rurais.

De acordo com o MP catarinense, as investigações iniciaram em abril com foco em empresas de laticínios, unidades resfriadoras e transportadoras de leite que estariam adulterando o leite destinado a consumo humano por causa de interesses comerciais. Segundo os investigadores, o leite era misturado com ureia, contendo formol, para mascarar a adição de água. É investigada também uma empresa de fachada que serviria para a compra de componentes químicos para a adulteração.

Os produtos com suspeita de adulteração pertencem aos laticínios Lajeado e Mondaí, de Santa Catarina. O segundo também tem filial na cidade gaúcha de Vista Alegre. As informações sobre os lotes contaminados e as identidades dos presos não foram divulgadas.

A nova fraude vem a público depois de seis etapas da Operação Leite Compe$ado no Rio Grande do Sul e da suspeita de irregularidades em duas cooperativas gaúchas no início deste mês.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave