Jovem é morto com 11 tiros e gangue rival comemora com foguetes em BH

Testemunha contou à polícia que atirador chegou e apontou uma pistola semiautomática para a cabeça da vítima; ninguém foi preso

iG Minas Gerais | CAROLINA CAETANO |

Um homem de 18 anos foi assassinado com 11 tiros, na noite dessa segunda-feira (18), no bairro Floramar, na região Norte de Belo Horizonte. Após o crime, integrantes de uma gangue comemoraram o homicídio soltando fogos de artifício.

De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar, uma testemunha contou aos militares do 13º Batalhão que conversava com Raphael de Oliveira na rua Professora Gabriela Varela quando dois homens chegaram em uma motocicleta de cor preta.

O garupeiro teria descido do veículo, colocado uma pistola semiautomática na cabeça do homem e perguntado o que a vítima fazia na região. O jovem teria dito que “não tinha nada a ver com isso”. Em seguida, o criminoso atirou na cabeça do homem. Não satisfeito, o suspeito ainda fez mais dez disparos, sendo que nove pegaram as costas de Oliveira e um o seu polegar.

Depois do assassinato, a dupla fugiu no sentido bairro Xodó Marize, na mesma região. O homem que presenciou o crime afirmou que não identificou os criminosos, que usavam capacete. Oliveira morreu antes da chegada do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Durante o registro da ocorrência, militares escutaram o barulho de foguetes. Na região existe uma briga constante entre a “Gangue do Jardim Felicidade” e a “Gangue do Xodó Marize”. A corporação fez rastreamento na região, mas nenhum suspeito foi identificado ou localizado.

A ocorrência foi encerrada na Central de Flagrantes I (Ceflan) e a investigação do caso ficará a cargo da Polícia Civil. 

Leia tudo sobre: XODO MARIZEFOGUETESFLORAMARGANGUE