Obra do gasoduto vai atrasar

O diretor de relações institucionais e comunicação da estatal, Luiz Henrique Michalick, disse que a previsão do governo estadual é que a PEC seja votada em outubro, logo depois das eleições

iG Minas Gerais | Juliana Gontijo |

O cronograma do supergasoduto de 500 km, que vai levar gás natural de Queluzito, na região Central, até Uberlândia, no Triângulo Mineiro, e que conta com investimentos da ordem de R$ 1,8 bilhão, pode atrasar, segundo o diretor de finanças e relações com investidores, Luiz Fernando Rolla. “Pode ocorrer um pouco de atraso”, afirma.  

O motivo do possível atraso é a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 68 – que flexibiliza a privatização da Gasmig com a entrada de um sócio para financiar o investimento – que só deve ocorrer depois das eleições.

O diretor de relações institucionais e comunicação da estatal, Luiz Henrique Michalick, disse que a previsão do governo estadual é que a PEC seja votada em outubro, logo depois das eleições. “Se tiver segundo turno, vamos ter que esperar”, diz. Ele ressalta que a estatal está se esforçando para reduzir os impactos do possível atraso. “Estamos seguindo com outras ações, estamos seguindo com os projetos executivo e ambiental”, observou.

O diretor de finanças e relações com investidores espera que a PEC seja aprovada. “O benefício do projeto é muito grande para o Estado, está acima de partidos”, diz Rolla. 

Entenda

Dependência. Sem a PEC 68, a espanhola Gás Natural Fenosa (GNF), que já demonstrou interesse em se unir à Cemig no empreendimento, não pode participar do negócio como sócio privado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave