Coleta seletiva abaixo da meta

Enquanto nova lei prevê expandir o serviço para 80 bairros até o próximo ano, prefeitura fala em 47

iG Minas Gerais | Joana Suarez |

Lixo. Locais de Entrega Voluntária (LEVs) de lixo reciclável devem chegar a 200 até 2016, segundo a SLU
ANGELO PETTINATI / O TEMPO
Lixo. Locais de Entrega Voluntária (LEVs) de lixo reciclável devem chegar a 200 até 2016, segundo a SLU

A ampliação da coleta seletiva em Belo Horizonte é uma das metas previstas pela Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) da capital já para o próximo ano. No entanto, enquanto a legislação aprovada no último mês de julho afirma que 80 bairros da cidade deverão contar com recolhimento de material reciclável até 2015, a Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) informou que só será possível expandir o serviço para cerca de 13 novos bairros nesse prazo, chegando a 47 no total – menos de 10% do município. Atualmente, apenas 34 dos 487 bairros da capital contam com o serviço. A meta da SLU é alcançar 60 bairros ainda em 2016.

Conforme determinação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que entrou em vigor neste mês, a capital já deveria ter o serviço implantado em 100% de seu território, encaminhando ao aterro apenas rejeitos não recicláveis. Mesmo que a ampliação prometida pela superintendência ainda esteja muito abaixo do previsto pela LDO, essa será a maior expansão desde que o sistema foi implantado em 30 bairros da cidade, há sete anos.

“Estamos trabalhando dentro do programa que foi estabelecido pela prefeitura de atingir 60 bairros até 2016. A meta de 80 bairros no próximo ano não seria possível porque o material coletado é destinado às cooperativas de catadores que precisam se estruturar para receber mais”, afirmou a chefe do departamento de Programas Especiais da SLU, Aurora Pederzoli. Segundo ela, as cooperativas já estão demandando mais material e, por isso, em 2014 se pretende ampliar a coleta em mais 13 bairros.

Ponto a ponto. Outra meta que não deve ser cumprida é o aumento da coleta ponto a ponto – em que as pessoas levam o material reciclável para os Locais de Entrega Voluntária (LEVs). Segundo a LDO, em 2015 esses locais deveriam ser ampliados em 240%, passando de 88 para 300. A SLU afirmou que pretende chegar, até 2016, a 200 LEVs espalhados pela capital, sendo 56 deles somente no próximo ano. O sistema ponto a ponto sofreu reduções nos últimos anos porque os locais acabaram se tornando depósitos de lixo comum.

“Ainda temos que trabalhar muito nas questões de educação ambiental e limpeza urbana, mas a reciclagem pode ser tratada em paralelo. A gente espera que a população realmente se empenhe nesse assunto”, destacou Aurora.

Segundo ela, estão previstas divulgações para os bairros que passarão a ser atendidos. Não existe, entretanto, uma campanha de conscientização municipal prevista para 2015. Durante a Copa do Mundo, a prefeitura desenvolveu a campanha Somos Todos Catadores, que teve resultados positivos na redução do lixo.

Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) Irregulares. Mesmo com um prazo de quatro anos para adequação à PNRS, segundo a Associação Mineira de Municípios (AMM), dois terços dos 853 municípios mineiros não estão legalizados, e 264 ainda possuem lixões. Capital. Belo Horizonte cumpre parte da lei federal e pode ter dificuldades para conseguir novos recursos enquanto não estiver 100% regular. Hoje, a capital paga R$ 30 por tonelada para aterrar os resíduos em Sabará, na região metropolitana.  Problema. Desde o início do prazo da PNRS, os municípios argumentam que não têm dinheiro para cumprir a lei. Em julho, o governo de Minas assinou uma Parceria Público-Privada (PPP) de Resíduos Sólidos, que entra em vigor em quatro anos. Deficiência. No início do mês, O TEMPO mostrou que a Subsecretaria de Controle e Fiscalização Ambiental Integrada conta apenas com 71 fiscais – um para cada 12 municípios mineiros. Com isso, o Estado tem dificuldades em fiscalizar o cumprimento da lei.

Audiências Resíduos. A partir do próximo mês, serão realizadas audiências públicas para a construção do plano municipal de gestão integrada de resíduos sólidos nas nove regionais da capital. A prefeitura prometeu divulgar as audiências para atrair o público.

COLETA PORTA-A-PORTA

Veja (ordem alfabética) os bairros que possuem o serviço de coleta seletiva na porta e o dia da semana:

Alto Barroca - segunda-feira   Anchieta - terça e sexta-feira   Barreiro (parte) - quinta-feira    Barroca (parte) - segunda-feira Betânia - sábado       Belvedere - quinta-feira Buritis - quinta e sexta-feira     Carmo - terça e sexta-feira      Cidade Jardim - quarta-feira    Cidade Nova - terça-feira        Cinquentenário  - sábado       Comiteco - sábado     Coração de Jesus (parte) - quarta-feira Cruzeiro - terça e sexta-feira    Estoril (parte) - quarta-feira     Grajaú (parte) - sábado e segunda-feira Gutierrez - sábado      Indústrias II - sábado  Lourdes (parte) - sexta-feira    Luxemburgo (parte) - quarta-feira        Mangabeiras - sexta-feira        Olhos D`água - quarta-feira     Região da Boa Viagem - quinta-feira   Santa Lúcia - quarta e sábado Santo Antônio - quarta e sexta-feira    São José - quarta-feira São Lucas (parte) - terça-feira São Luiz (parte) - quinta-feira  São Bento - sábado   São Pedro - sexta-feira Savassi - quinta-feira e sexta-feira      Serra - terça-feira        Sion - quinta-feira       Sion (próximo à Igreja do Carmo) - sexta-feira Vila Paris - quarta-feira

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave