Força e mística do Mineirão

Jogadores pregam respeito a Felipão mesmo com vexame recente do treinador na capital mineira

iG Minas Gerais | Guilherme Guimarães e Bruno Trindade |

Apoio. Torcida celeste tem marcado presença, mas jogadores não creem que Felipão vá sentir pressão por voltar a atuar no Mineirão
JOAO GODINHO / O TEMPO
Apoio. Torcida celeste tem marcado presença, mas jogadores não creem que Felipão vá sentir pressão por voltar a atuar no Mineirão

Futebol e superstição são duas coisas que caminham lado a lado, apesar de alguns personagens do mundo da bola acreditarem mais que outros em certas fábulas. Diante do Grêmio, na próxima quinta-feira, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro será o responsável por promover um reencontro de muita simbologia: o do técnico gremista Luiz Felipe Scolari com o Mineirão.

Foi no Gigante da Pampulha, onde a Raposa tem 100% de aproveitamento na atual edição do Brasileirão – cinco vitórias –, que o ex-treinador da seleção brasileira sofreu a derrota mais acachapante da história do Brasil: o 7 a 1 na semifinal da Copa do Mundo diante da Alemanha.

Enquanto torcedores celestes acreditam que Felipão se sentirá pressionado pelo recente pesadelo em seu retorno a Belo Horizonte, os jogadores celestes se mantêm imunes às crendices e teorias extracampo. Caso do experiente Júlio Baptista. Possível substituto do atacante Marcelo Moreno, impossibilitado de atuar contra o Grêmio por detalhes contratuais, o meia-atacante se mostra bastante cético quando ao passado recente do adversário na Pampulha.

“Vida segue, tem que andar para frente. O 7 a 1 ficou ali, o passado já escreveu essa página. Para nós, e acho que também para o Felipão como treinador do Grêmio, agora é uma nova etapa. Essa que passou é para ser esquecida”, afirmou.

Cautelosos. Nem mesmo a mancha no currículo de Felipão faz o zagueiro Léo perder o respeito pelo treinador rival. “Não vejo esse reencontro com todo este peso de volta por cima. Todo mundo que vem aqui quer ganhar. O Felipão trará o Grêmio para o Mineirão e vai mostrar sua força, tentar nos surpreender. Cabe a nós montar uma boa estratégia para jogar e buscar a vitória”, opinou o defensor.

O lateral-esquerdo Egídio prefere exaltar a força do Cruzeiro no Gigante da Pampulha. O ala evita levantar a provável existência de forças ocultas com a volta de Scolari à capital mineira. “É outra competição, ele estava com a seleção naquela ocasião, e agora, está treinando o Grêmio. Isso independe de estádio. A gente sabe da nossa força dentro de casa, vamos procurar imprimir nosso futebol e buscar a vitória”, ponderou Egídio.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave