Minas recebeu 255 mil turistas estrangeiros durante a Copa do Mundo

Argentina (17%), Inglaterra (14,9%) e Colômbia (13%) foram os países com mais representantes

iG Minas Gerais | Da redação |

Esportes/ BRASIL. BELO HORIZONTE, MG.
Festa na Savassi depois da vitoria da Argentina x Iran.
Mojeh Montashami, Ashkon e Hashem Ashrajuon
Pablo Mauricio, Juan Pablo, Lucas Nahuel RIveros e Omar Riveros.

FOTO:Uarlen Valerio / O TEMPO / 2014.06.21
UARLEN VALERIO / O TEMPO
Esportes/ BRASIL. BELO HORIZONTE, MG. Festa na Savassi depois da vitoria da Argentina x Iran. Mojeh Montashami, Ashkon e Hashem Ashrajuon Pablo Mauricio, Juan Pablo, Lucas Nahuel RIveros e Omar Riveros. FOTO:Uarlen Valerio / O TEMPO / 2014.06.21

Belo Horizonte foi a capital sul-americana do mundo durante a Copa no Brasil. Pelo menos é o que revelou levantamento feito pela Secretaria de Estado de Turismo e Esportes de Minas Gerais (Setes-MG), mostrando que a capital mineira recebeu 392.898 visitantes durante o Mundial, sendo que 255.383 eram estrangeiros de 46 nacionalidades. No total,  Argentina (17%), Inglaterra (14,9%) e Colômbia (13%) foram os países com mais representantes.

O estudo foi realizado pelo Estado em parceria com a Belotur e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) entre 14 de junho e 10 de julho, com 2.800 entrevistados em diversos pontos da cidade, como o Mineirão, o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, a FIFA Fan Fest, no Expominas, e a Savassi. A margem de erro é de 2%. O evento gerou uma receita direta de R$ 445,6 milhões e uma receita indireta de R$ 1,6 bilhão para o setor de comércio e serviços da capital. Além disso, uma pesquisa do Ministério do Turismo, feita em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), também elegeu o Mineirão como o estádio mais bem-avaliado pelos torcedores estrangeiros. O Gigante da Pampulha recebeu seis jogos durante a Copa do Mundo do Brasil. Turismo em alta A maioria dos entrevistados, 71,6%, eram homens, com uma média de idade de 33 anos. Do total, 42% viajaram com amigos e 66% assistiram aos jogos no estádio. Eles geraram um gasto médio de R$ 1.134,30 em Belo Horizonte durante a viagem, 20,9% maior que o registrado no mesmo período de 2013, na Copa das Confederações.

Ainda segundo a pesquisa, 72% visitaram Belo Horizonte pela primeira vez e 41,9% chegaram a conhecer outras cidades-sede. Para 58% deste universo, Belo Horizonte foi a capital melhor preparada para a Copa, seguida por São Paulo (16%) e Rio de Janeiro (10%).

Em Minas, os destinos mais visitados, além da capital, foram Ouro Preto, Mariana, Serra do Cipó, Brumadinho e Tiradentes.

Do total de entrevistados, 92% responderam que a viagem a Belo Horizonte atendeu plenamente ou superou as expectativas. A maioria (86%) deseja retornar à capital para lazer e 92% indicariam a cidade como destino turístico a amigos e parentes. Jeitinho mineiro aprovado Os hotéis e pousadas foram a escolha de hospedagem de 48% dos entrevistados da pesquisa da Setes-MG, seguidos pelos albergues (10%), que registraram um crescimento importante. Com relação mesmo período do ano passado, apenas 1,3% havia escolhido essa opção. A casa de amigos e parentes foi a escolha de 32% dos turistas.

A taxa de ocupação hoteleira em Belo Horizonte foi de 71,5%, com registro de 159 mil hóspedes entre os dias 12 e 28 de junho. O dado representa um crescimento de 19,1% se comparado com o ano passado. Dados da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH) mostram que nos hotéis de grande porte, a taxa de ocupação chegou a 75,3%. No dia 8 de julho (semifinal em BH), essa taxa chegou a 90%.

Os itens bem-avaliados (em uma avaliação de 1 a 10) foram a hospitalidade dos mineiros (9,1), a gastronomia (8,7), os serviços de hospedagem (8,4) e o serviço de bares e restaurantes (8,4). Segundo a preferência dos turistas, os destaques gastronômicos foram o feijão tropeiro (37,3%) e o pão de queijo (36,6%).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave