Imóveis em situação de abandono na Amazonas serão restaurados

A previsão é que em dois anos os seis casarões estejam restaurados; ainda não há definição do uso que terão, mas quatro dos imóveis pertencem ao Colégio Santo Agostinho

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

Os seis casarões históricos localizados na avenida Amazonas, entre as ruas Aimorés e Mato Grosso, na região Centro-Sul de Belo Horizonte serão restaurados. Entre eles, estão quatro imóveis que pertencem ao Colégio Santo Agostinho. Ainda não há definição sobre o que se tornarão, mas a previsão é que em no máximo dois anos eles estejam restaurados e prontos para uso.

Segundo o diretor de Patrimônio da Fundação Municipal de Cultura, Carlos Henrique Bicalho, o conjunto que contém os seis imóveis e um lote, será restaurado. As casas serão integralmente reformadas e mantidas, tanto internamente, como externamente.

A situação atual dos imóveis é de abandono, assim como em pelo menos 3% dos 722 imóveis tombados pelo Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural do Município de Belo Horizonte.  “O que a gente pode perceber é que muitos imóveis estão abandonados em BH, porque pertencem a um proprietário que têm muitos imóveis e, assim, alguns acabam ficando esquecidos. Outro motivo que faz com que muitos imóveis estejam nesta situação, é relacionado às questões de espólio, de inventário, de divisão dos bens entre os herdeiros”, explicou o diretor de patrimônio.

Ainda de acordo com Bicalho, não há definição de como serão usados os imóveis quando restaurados. Até então nem a escola ou nem os outros proprietários entraram com alguma solicitação em relação ao uso das edificações. Segundo Bicalho, o tombamento não incide no uso, ou seja, o proprietário define como quer usar determinado imóvel. “Se o uso não for degradante, ele é passível de ser aceito”, finalizou. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave