Abolição da escravidão é tema de debate na Comissão Direitos Humanos

Para o senador Cristovam Buarque (PDT-DF), que propôs o debate, a Lei Áurea não libertou os negros de maneira completa, já que os descendentes dos antigos escravos ainda não têm acesso à educação

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Como concluir o processo de abolição da escravidão? Essa é a questão que estará em pauta na segunda-feira (18) quando a Comissão Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) promoverá uma audiência pública interativa, para discutir como garantir a efetiva inclusão dos negros na sociedade.

Para o senador Cristovam Buarque (PDT-DF), que propôs o debate, a Lei Áurea não libertou os negros de maneira completa, já que os descendentes dos antigos escravos ainda não têm acesso à educação. Ele diz ainda que, apesar de serem maioria na sociedade brasileira, os negros ainda são marginalizados e têm menos direitos.

“Políticas afirmativas têm sido implementadas nas últimas décadas. Algumas com sucesso. Mas ainda o país precisa definir um projeto abolicionista. Este é o sentido da Audiência Pública”, justificou Cristovam.

Devem participar da audiência pública o secretário da Cultura do Distrito Federal, Hamilton Pereira da Silva; o vice-presidente Grupo Cultural Olodum da Bahia, Marcelo Gentil; o professor e escritor Hélio Santos; e o professor da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) Augusto Sérgio dos Santos de São Bernardo.

Também foram convidados para o debate familiares do abolicionista Joaquim Nabuco: Vivi Nabuco (neta), José Tomas Nabuco Filho (neto) e Pedro Nabuco (bisneto).

Pessoas de todo o país poderão assistir à audiência ao vivo a partir das 16h e participar do debate com o envio de perguntas e comentários a senadores e convidados por meio do portal Portal e-Cidadania. Também é possível a interação pelo Facebook, pelo Twitter e pelo Alô Senado (0800-612211).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave